Será a primeira vez desde 1998 que a Copa Libertadores não contará com representantes paulistas. Em 2014, Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos disputarão apenas o estadual no início do ano, e não participarão da mais importante competição da América do Sul. A ausência do quarteto no torneio desacelera as ações no mercado de transferências e tem nos números a comprovação de que os paulistas, de modo geral, largaram mal na briga de fim de ano por reforços: dentre os principais centros, é o que menos oficializou contratações.

São apenas dois os reforços confirmados no estado de São Paulo: o badaladíssimo Leandro Damião chega ao Santos por meio do fundo de investimento Doyen Sports, que pagou R$ 41 milhões para tirá-lo do Internacional. No São Paulo, a primeira e talvez única contratação é a do lateral direito Luis Ricardo, de 29 anos, que saiu da Portuguesa.

Em outros centros o trabalho é mais intenso. Já são seis os reforços confirmados pelos clubes do Rio de Janeiro. Mesmo rebaixado, o Vasco já anunciou as chegadas do goleiro uruguaio Martin Silva, do volante paraguaio Eduardo Aranda e do meia Francismar. O Flamengo confirmou a contratação do meia Everton, que jogou o Brasileirão pelo Atlético-PR. Fluminense e Botafogo anunciaram os meias Darío Conca e Jorge Wagner, respectivamente.

No Rio Grande do Sul, outros cinco foram confirmados. O Internacional apresentou o zagueiro Paulão, o atacante Wellington Paulista e o goleiro Dida, que deixou o Grêmio. O rival, por sua vez, anuncia o zagueiro Geromel e o volante Edinho como reforços.

Campeão brasileiro em 2013 e presente na Libertadores de 2014, o Cruzeiro já contratou mais do que os quatro grandes de São Paulo juntos. Confirmou a chegada do lateral esquerdo paraguaio Samudio, sonho antigo do Palmeiras, e firmou contrato com o meia Marlone, ex-Vasco, que foi cobiçado por São Paulo e Corinthians. Além da dupla, oficializou a chegada do volante Rodrigo Souza, que já tinha até acordo para jogar no Flamengo em 2014. Campeão da Libertadores e apenas terceiro colocado no Mundial, o Atlético-MG não anunciou novos jogadores para a próxima temporada.

Em São Paulo, cabe a Santos e Palmeiras as esperanças para ultrapassar os outros estados. O primeiro conta com o aporte do Doyen Sports e tem negociação avançada com o chileno Eduardo Vargas, do Napoli (ITA). Além dele, o atacante Rildo, da Ponte Preta, também negocia. Com investimento pesado, o clube ainda chegou a conversar com Diego, cria santista que hoje atua no Wolfsburg (ALE). O Palmeiras, com modelo de contratos por produtividade, trabalha em patamar mais modesto, mas avança nos negócios pelos atacantes Rodolfo, do Rio Claro, e Marquinhos Gabriel, do Bahia, além do lateral direito Jorge Moreira, do Libertad (PAR).

A situação de Corinthians e São Paulo é menos otimista. O primeiro não contrata porque vê elenco inflado e avalia que precisa se livrar de peças ociosas antes de poder se reforçar. O segundo derrapa no mercado e não consegue fechar as contratações que precisa, mesmo após ter lutado contra o rebaixamento em 2013.