Geral

Audiência reúne informações para aperfeiçoar uso da vinhaça e combate à mosca do estábulo

Uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul na tarde desta quarta-feira (27/03) apresentou encaminhamentos para aperfeiçoar o Projeto de Lei nº 07/2013, que disciplina o uso da vinhaça gerada pelas usinas de álcool e açúcar. O projeto de autoria dos deputados estaduais Laerte Tetila (PT), Marcio Monteiro (PSDB) e Felipe […]

Arquivo Publicado em 27/03/2013, às 20h37

None

Uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul na tarde desta quarta-feira (27/03) apresentou encaminhamentos para aperfeiçoar o Projeto de Lei nº 07/2013, que disciplina o uso da vinhaça gerada pelas usinas de álcool e açúcar. O projeto de autoria dos deputados estaduais Laerte Tetila (PT), Marcio Monteiro (PSDB) e Felipe Orro (PDT) visa coibir a poluição do lençol freático e a proliferação da mosca do estábulo, inseto que se alimenta do sangue de animais e tem sido responsável por debilitar rebanhos e prejudicar a produção.



O deputado estadual Laerte Tetila destacou que a utilização da vinhaça na fertirrigação deve ser na medida correta para evitar infestações da mosca. “A audiência foi fundamental para colocar os lados envolvidos com a questão na busca por soluções. A utilização da vinhaça na quantidade certa, sem provocar poças, além de irrigar, fertiliza a terra, sem danificar o meio ambiente. Porém, o que temos constatado nas regiões que visitamos é uma situação que não pode acontecer. Vários produtores estão perdendo sua produção devido aos ataques de moscas aos seus rebanhos, fator que prejudica principalmente pequenos agricultores”, ressalta Tetila.



Participaram da audiência os deputados estaduais Laerte Tetila (PT), Marcio Monteiro (PSDB), Felipe Orro (PDT) e Junior Mochi, a secretária de Produção e Turismo de Mato Grosso do Sul, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, o presidente da Comissão de Agroenergia da Federação de Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Luiz Alberto Morais Novaes, o presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Roberto Hollanda Filho, a presidente da Comissão de Meio Ambiente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MS), Helena Clara Kaplan, o presidente da Associação dos Fornecedores de Cana Sul-Mato-grossense (Sulcanas), Paulo Junqueira Filho, o diretor de desenvolvimento do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul –IMASUL, Roberto Gonçalves, o pesquisador da Embrapa Paulo Cançado e o engenheiro André Elia Neto, além de produtores rurais e profissionais do setor de usinas de diversas regiões do estado.


Jornal Midiamax