Geral

Após queixas contra irmão que ganhou programa, Maciel entrega Sindicato dos Radialistas

A partir do dia 1º de novembro, o diretor da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) Lúcio Rodrigues Maciel, deixará a presidência do Sindicato dos Radialistas e Publicitários de Mato Grosso do Sul. Lúcio vinha acumulando as duas funções desde que foi nomeado diretor da Agetran pelo prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). […]

Arquivo Publicado em 31/10/2013, às 18h50

None
1217434406.jpg

A partir do dia 1º de novembro, o diretor da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) Lúcio Rodrigues Maciel, deixará a presidência do Sindicato dos Radialistas e Publicitários de Mato Grosso do Sul. Lúcio vinha acumulando as duas funções desde que foi nomeado diretor da Agetran pelo prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP).

De acordo com o vice-presidente do Sindicato Ricardo Ortiz, que irá assumir a presidência a partir do dia 1º de novembro, a decisão de se afastar do cargo de presidente partiu do próprio Lúcio após uma reunião perante a executiva do Sindicato dos Radialistas e Publicitários de Mato Grosso do Sul.

“A decisão partiu dele porque como presidente ele acaba representando toda uma categoria e para não expor o nosso sindicato e não ter nenhuma conotação política, acabou pedindo o afastamento. Assumo a presidência do sindicato dos radialistas para não macular a imagem da nossa categoria”, afirmou Ortiz.

Reclamação dos vereadores

Na manhã desta quinta-feira, o vereador Airton Saraiva (DEM) denunciou em sessão nesta quinta-feira (31) que uma rádiocom fins educativos estaria sendo usada para fins políticos pelo prefeito Alcides Bernal (PP), com a ajuda de um radialista, que é irmão de Lúcio Maciel, atual diretor de transportes da Agetran.

De acordo com o vereador, o prefeito tem ido ao programa que o radialista assumiu recentemente na Rádio UCDB, para atacar o Legislativo. “Aí, quando algumas pessoas ligam para reclamar do prefeito, a ligação cai”, concordou Wanderley Cabeludo (PDMB).

Para contestar o fato, Saraiva pediu à Mesa Diretora da Casa de Leis que entre com um processo contra o profissional e para que solicite as fitas do programa de hoje para futuras providências.

Jornal Midiamax