Geral

Após demissão, CPI decide reconvocar Beatriz Dobashi para esclarecer ‘verdade’

A CPI da Saúde da Assembleia Legislativa decidiu, na manhã desta terça-feira (2), reconvocar a ex-secretária estadual de Saúde, Beatriz Figueiredo Dobashi. O objetivo é tentar restabelecer a ‘verdade’ dos fatos. Em depoimento à CPI, Beatriz Dobashi negou qualquer interferência ou relação com a vinda de equipamentos para a radioterapia no Estado. Também negou ter […]

Arquivo Publicado em 02/07/2013, às 14h13

None
2005838966.jpg

A CPI da Saúde da Assembleia Legislativa decidiu, na manhã desta terça-feira (2), reconvocar a ex-secretária estadual de Saúde, Beatriz Figueiredo Dobashi. O objetivo é tentar restabelecer a ‘verdade’ dos fatos.


Em depoimento à CPI, Beatriz Dobashi negou qualquer interferência ou relação com a vinda de equipamentos para a radioterapia no Estado. Também negou ter articulado para desativar o setor no Hospital Universitário.


No entanto, gravações feitas pela Polícia Federal na Operação Sangue Frio, mostram que a ex-secretária e o ex-diretor-presidente do Hospital Regional, Ronaldo Perches Queiroz, articulam para que os equipamentos fossem entregues ao Hospital do Câncer, que é particular. Em determinado momento, a ex-secretária torce para que os aceleradores demorem para chegar no Estado.


Para o presidente da CPI da Saúde, Amarildo Cruz (PT), ela será reconvocada para tentar esclarecer o contraditório. Ele disse que não pode falar que a ex-secretária mentiu. No entanto, há muita contradição e explicação a ser dada em novo depoimento.


O vice-presidente da comissão, deputado estadual Lauro Davi (PSB), também se queixou do depoimento da ex-secretária. “Vou ser muito político, não vou dizer que ela mentiu, mas houve muita contradição”, afirmou o parlamentar.


Os dois deputados defenderam o trabalho da CPI, já que quando ouviram Dobashi, eles tinham poucos documentos para coloca-la contra a parede.


Beatriz Dobashi pediu afastamento ontem, após a divulgação de novas gravações telefônicas, em que revelam a articulação para beneficiar Adalberto Siufi. Ronaldo Queiroz foi afastado do comando do Hospital Regional.


Hoje, o governador André Puccinelli não defendeu Beatriz Dobashi, que lhe acompanha desde quando assumiu a prefeitura da Capital em 1997 e estava há sete anos na Secretaria Estadual de Saúde.


Novos depoimentos


A CPI ouve na próxima segunda-feira o ex-diretor-presidente do Hospital Regional, Ronaldo Queiroz. Além dele, foram convocados o ex-diretor-geral do HU, José Carlos Dorsa, e o ex-diretor da Santa Casa e atual integrante da Secretaria Estadual de Saúde, Antônio Lastória.


Lastória reassumiu o cargo na Secretaria de Saúde após a Associação Beneficente de Campo Grande reassumir o comando da Santa Casa.

Jornal Midiamax