Geral

Amarildo admite custo alto, mas nega ter gasto R$ 70 mil com consultor de São Paulo

Amarildo Cruz (PT), presidente da CPI da Saúde, negou na manhã deste sábado (7) antes da cerimônia de posse do presidente estadual do partido que tenha gasto R$ 70 mil com o consultor de São Paulo e alega perseguição por ter votado contra o relatório. Entretanto, ele admite que o valor pago é alto. “Não […]

Arquivo Publicado em 07/12/2013, às 13h03

None
1174535789.jpg

Amarildo Cruz (PT), presidente da CPI da Saúde, negou na manhã deste sábado (7) antes da cerimônia de posse do presidente estadual do partido que tenha gasto R$ 70 mil com o consultor de São Paulo e alega perseguição por ter votado contra o relatório. Entretanto, ele admite que o valor pago é alto.


“Não foi tão barato porque eu tinha que trazer um consultor à altura para este trabalho. Eles precisavam analisar mais de 70 mil documentos”, explicou. O deputado estadual diz que as acusações feitas pelos colegas devem ter comprovação documental.


Nessa semana, o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) anunciou que procuraria o MPE (Ministério Público Estadual) para denunciar o gasto que, segundo ele, teria sido superfaturado pelo deputado. Amarildo reagiu hoje solicitando que ao menos ele tenha a documentação que comprove a denúncia.


“Todo mundo tem o direito de ir ao Ministério, mas é preciso ter prova das coisas. Quando fiz meu voto aberto fiz com provas e documentos. Isso é ilação, estão esperneando porque eu propus o indiciamento de muita gente e isso incomodou”.


O valor total das despesas, um total que seria de R$ 350 mil, deve ser anunciado ainda nesta semana. “É função da Mesa Diretora divulgar em até 20 dias após a entrega do relatório. Como está essa conversa vamos ver se conseguimos divulgar ainda nessa semana”, terminou.

Jornal Midiamax