Geral

Aécio diz que filiação de Marina fortalece oposição, mas evita falar sobre perda de poder

O presidente nacional do PSDB e atual candidato a presidência da República pelo partido, senador Aécio Neves, postou no Facebook que para ele a filiação de Marina, além de uma conquista democrática é também uma resposta as ações autoritárias do PT. Aécio está em Nova York, para participar de um evento de investidores na próxima […]

Arquivo Publicado em 06/10/2013, às 18h37

None
1170648963.JPG

O presidente nacional do PSDB e atual candidato a presidência da República pelo partido, senador Aécio Neves, postou no Facebook que para ele a filiação de Marina, além de uma conquista democrática é também uma resposta as ações autoritárias do PT. Aécio está em Nova York, para participar de um evento de investidores na próxima terça-feira (8).

Na postagem, que em 3h já registrava mais de 7 mil curtidas, 747 comentários e 1.435 compartilhamentos, Aécio afirma que o PSDB considera a decisão de Marina – de se manter em condições de participar das eleições de 2014 filiando-se ao PSB – uma importante conquista da democracia atual do país.

O senador tucano frisou que além de democrática, a filiação foi uma resposta ao autoritarismo do PT, principalmente àqueles que chegaram a comemorar a exclusão de Marina das eleições de 2014, com a inviabilização do Rede.

Na avaliação de Aécio, Marina fortalece o campo político das oposições. O tucano diz ainda que o nome dela no cenário político contribui para o debate de ideias e propostas e aproveita para atacar o governo de Dilma Roussef, dizendo que esse debate é ‘tão necessário para colocar fim a esse ciclo do PT que tanto mal vem fazendo ao país’.

Apesar de a publicação ‘parabenizar’ de certa forma Marina pela atitude de não deixar se abater, Aécio evita fazer qualquer avaliação sobre o enfraquecimento do PSDB com a ida da ex-senadora para o PSB. Isso porque, pesquisas eleitorais recentes mostram Dilma e Marina muito próximas da preferência dos eleitores nas urnas.

Marina anunciou oficialmente sua filiação no PSB após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) não aceitar o pedido de criação do Rede Sustentabilidade.

Em Mato Grosso do Sul o PSB é ligado ao PMDB, uma vez que o presidente do PSB, Murilo Zauith foi vice na administração do governador André Puccinelli, líder do PMDB sul-mato-grossense.

Assim, caso as pretenções nacionais venham a se desenhar no estado e a dobradinha nacional entre PT e PMDB seja efetiva, o adversário político do PT, o PSDB de Reinaldo Azambuja e Márcio Monteiro – que até pouco tempo era dado como a ‘noiva desejada’- pode perder a ‘capacidade de atração’ dos partidos.

A reportagem tentou entrar em contato com Azambuja e Monteiro, mas não obteve sucesso. Também o presidente regional do PSB não foi encontrado para comentar o novo cenário.

Jornal Midiamax