Geral

Acordo com Eletrobrás-Furnas traz alívio para atletas da ginástica olímpica

A situação crítica dos atletas da ginástica olímpica no Rio de Janeiro, país sede das próximas Olimpíadas recebeu um sopro de alívio na manhã de hoje (26), após o anúncio de um contrato publicitário da empresa de energia elétrica Eletrobrás-Furnas com a equipe. O apoio publicitário prevê o direito de uso da imagem, durante dez […]

Arquivo Publicado em 26/03/2013, às 18h20

None

A situação crítica dos atletas da ginástica olímpica no Rio de Janeiro, país sede das próximas Olimpíadas recebeu um sopro de alívio na manhã de hoje (26), após o anúncio de um contrato publicitário da empresa de energia elétrica Eletrobrás-Furnas com a equipe.



O apoio publicitário prevê o direito de uso da imagem, durante dez meses, do técnico Renato Araújo e dos atletas Dani Hipólito, Petrix Barbosa, Sérgio Sasaki, Jade Barbosa e Caio Campos, todos demitidos do Clube do Flamengo há cerca de três meses. O valor do contrato varia entre R$ 70 mil e R$ 80 mil por mês.



O gerente de Comunicação de Furnas, Leandro Rosa, explicou que a empresa sensibilizou-se com as condições dos atletas e espera que, com o contrato, a equipe consiga mais visibilidade e, futuramente, mais patrocínios.



“Esse orçamento está dentro do plano de mídia da empresa ligado a peças publicitárias. Nossa intenção não é de patrocínio. Os atletas não têm nenhuma obrigatoriedade de utilizar a marca Furnas em compromissos externos. Estamos trazendo os atletas para os projetos institucionais de Furnas. Nosso compromisso é com grandes projetos de perspectiva nacional e de não deixar os atletas órfãos”, declarou Rosa.



Apesar do incentivo, os atletas continuam sem local fixo para treinar. Para Diego Hipólito, veterano entre os atletas olímpicos, o apoio veio em boa hora e vai permitir estabilidade financeira aos atletas enquanto não encontram local adequado para a equipe.



“Eu tenho patrocínio, mas alguns aqui estavam sem clube e sem salário. Esse contrato nos dá uma base e uma tranquilidade para que todos possam buscar local em conjunto”, disse Hypolito, ao informar que temporariamente os rapazes estão treinando no Clube Pinheiros, em São Paulo, graças a um acordo firmado entre o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e o clube paulista. As meninas continuam sem um local para treinos, mas existe a possibilidade de, após a Páscoa, treinarem no Clube de Curitiba, para a seletiva do grupo nacional.



Os atletas estão preocupados com a proximidade das Olimpíadas, e afirmam que cada dia sem treino é um obstáculo a mais para a conquista de medalhas. Jade Barbosa é uma das atletas que não tem treinado e está preocupada com a seletiva, em duas semanas. “Estamos sem ginásio para fazer um treino básico e temos que nos preparar para as seletivas. Há três meses achávamos que o grupo estava em vantagem sobre os adversários, pois tínhamos toda uma estrutura, agora isso tudo acabou”, lamentou Jade.



“Esperamos que isso se solucione rápido”, disse Diego Hypolito, “pois temos uma Olimpíada no Brasil e se queremos ter resultados, representar bem o país, temos que começar desde já, pois não se conquista uma medalha em um dia, em uma semana, mas em um ciclo e esse ciclo já começou”, declarou Diego Hypolito.



Petrix Barbosa, atual campeão panamericano, agradeceu a empresa e espera que o acordo sirva de exemplo para outras empresas. “Queremos dar orgulho a empresa e agradecer por essa atitude de apostar na nossa equipe. Esperamos que outras empresas possam fazer o mesmo”, completou.

Jornal Midiamax