Geral

Abandonado, ginásio esportivo é interditado em Sidrolândia

Após anos abandonado pelo poder público e sem reformas, o ginásio Olegário da Costa Machado, principal palco para a prática de esportes no município de Sidrolândia, teve que ser interditado. Segundo o secretário de Esportes da cidade, Clayton Lopes Ortega, o espaço não possuía as mínimas condições de uso. Agora, sob novo comando, a Prefeitura […]

Arquivo Publicado em 22/01/2013, às 12h48

None
703294228.bmp

Após anos abandonado pelo poder público e sem reformas, o ginásio Olegário da Costa Machado, principal palco para a prática de esportes no município de Sidrolândia, teve que ser interditado. Segundo o secretário de Esportes da cidade, Clayton Lopes Ortega, o espaço não possuía as mínimas condições de uso. Agora, sob novo comando, a Prefeitura iniciou uma frente de trabalho para revitalizar o local.


“Nós recebemos as praças esportivas em um completo estado de abandono. Sujeira, lixo, grama e árvores a serem podadas, sem material esportivo. O ginásio é o principal palco para ações esportivas na cidade e oferece, hoje, um risco muito grande para a integridade física dos atletas”, justifica o titular da pasta.


Os sinais de abandono estão logo na fachada do prédio. A pintura, já desgastada, se solta do reboco facilmente. Na cobertura, também danificada pelo tempo, ramificações começaram a se formar. A quadra, sem tinta e com formigas em alguns pontos, perdeu parte dos tacos e dos parafusos, oferecendo perigo a quem pratica esportes ali. Um pequeno espaço entre os dois vestiários também está tomado por fezes de pombos.


O maior perigo, no entanto, está na arquibancada. Uma rachadura de cerca de 3,5 metros de comprimento e 70 centímetros de profundidade se formou próximo a parede do ginásio, comprometendo toda a estrutura. Segundo Ortega, especialistas serão chamados para avaliar a estrutura do local.


“Identificamos esses pontos críticos na parede e solicitamos vistorias técnicas de engenheiros”, garantiu. “Hoje o ginásio já está passando por manutenção. Fizemos podas de grama, árvores, recuperação de pistas de salto, retiradas de entulho”, completou.


Correndo contra o tempo – O principal ginásio de Sidrolândia foi interditado no último dia 2 de janeiro, após a posse o prefeito interino Ilson Peres (PSDB). Desde então, a Prefeitura já retirou pelo menos três caçambas de entulho e lixo do espaço, localizado ao lado do Estádio Municipal Sotero Zárate. O estádio, inclusive, sofre com os mesmos problemas.


Até o final do último ano, as áreas em volta do campo estavam tomadas pelo mato. Quando a nova gestão assumiu, até mesmo animais mortos foram encontrados no espaço. Os banheiros, ainda sem condições de uso, também passarão por reformas. Ainda conforme o secretário de Esportes, não há prazo para a conclusão dos trabalhos.


“Prazo fica complicado definir, pois estamos ainda levantando as necessidades. Estamos correndo contra o tempo, em fase final de levantamento dessas informações e dos valores que precisaremos para suprir essa deficiência. Mas acreditamos que, no máximo, em 40 dias conseguiremos dar uma resposta para a sociedade”, finaliza.


Está mudando – Mesmo com os problemas, a antiga gestão ainda permitia a realização de partidas esportivas no ginásio durante o ano passado – os Jogos Escolares, por exemplo, foram realizados ali. Em competições não-oficiais, a administração cobrava ainda R$ 20 para alugar o espaço por uma hora. A população, no entanto, reprova a atitude.


“Isso é um absurdo (pagar para jogar em uma quadra sem estrutura). Agora fecharam e vão reformar, tomara que melhore. Já está mudando, porque podaram a grama, que estava alta já”, diz o autônomo Luiz Henrique Machado, que frequenta o ginásio.

Jornal Midiamax