Geral

Vigilância Sanitária enviará fiscais a parque infantil de Três Lagoas

Nesta quarta-feira (25), Toninha Campos recebeu em seu programa, na Rádio Caçula, a diretora do setor de Vigilância Sanitária no Município, Neide yuki, que informou a comunidade, quais providências serão tomadas sobre as denúncias publicadas no site. Parque infantil da Lagoa Maior: Descaso no parque infantil: Crianças brincam na lama / Após denúncia, autoridades não […]

Arquivo Publicado em 26/07/2012, às 09h20

None

Nesta quarta-feira (25), Toninha Campos recebeu em seu programa, na Rádio Caçula, a diretora do setor de Vigilância Sanitária no Município, Neide yuki, que informou a comunidade, quais providências serão tomadas sobre as denúncias publicadas no site.

Parque infantil da Lagoa Maior: Descaso no parque infantil: Crianças brincam na lama / Após denúncia, autoridades não tomam providência no parque infantil

Após visualizarem a denúncia feita por uma ouvinte, Neide afirmou ter encaminhado um responsável pelo setor de endemias, Sr. José Carlos (baianinho) até o local.

Não foram encontrados focos de dengue no local. Como a superfície do parquinho é de areia, com o tempo a água é absorvida, explicou Neide.

Os repórteres da emissora perguntaram para a diretora, o porque da ausência de um banheiro e bebedouro adequados, Neide afirmou que será enviado um fiscal sanitário no local, e entrará em contato com o responsável pelo DOS (Departamento de Obras e Serviços), para que em conjunto sejam tomadas as providências o mais rápidamente possível.

Escorpiões no Bairro Jardim dos Ipês:

A matéria publicada pelo site da Rádio Caçula, denunciou o aparecimento de muitos escorpiões no Bairro Jardim dos Ipês, em uma residência com criança e a mulher grávida.

Neide explicou que nesses bairros onde existe alta concentração de terrenos baldios ou entulhos como madeira, tijolos, blocos, devido à umidade, aparecem vários insetos e moradores ficam sujeitos a doenças, nesses casos é preciso fazer um manejo ambiental.

O Centro de Combate de Zoonose faz um trabalho de orientação à população, quando é encontrado algum animal que provoque algum malefício à saúde humana, deve-se colocar o animal (escorpião, cobra, inseto) em um local fechado, para que o entomologista faça um exame para detectar se o animal é venenoso ou não, e ligar para a Zoonose.

Picada de escorpião

Neide informa que no caso de picadas o indivíduo deve ir o mais rápido possível ao hospital e se possível levar o animal, para que seja feito o soro. No caso do escorpião vinagre (não venenoso), a pessoa irá sentir muita dor, e não sofrerá maiores consequências.

Dengue:

A diretora Neide Yuki afirmou que a ação da saúde na comunidade é contínua, e pediu para os moradores continuarem fazendo uma rígida vigilância em suas residências, pois na maioria dos casos, quando voltam os focos do mosquito estão novamente se proliferando, encerra.

Prevenção

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Sintomas

Dengue Clássica: os sintomas são mais brandos. A pessoa doente tem febre alta, dores de cabeça, nas costas e na região atrás dos olhos. A febre começa a ceder a partir do quinto dia e os sintomas, a partir do décimo dia. Neste caso, dificilmente acontecem complicações, porém alguns doentes podem apresentar hemorragias leves na boca e nariz.

Dengue hemorrágica (ocorre quando a pessoa pega a doença por uma segunda vez): neste caso a doença manifesta-se de forma mais grave. Nos primeiros cinco dias os sintomas são semelhantes ao do tipo clássico. Porém, a partir do quinto dia, alguns doentes podem apresentar hemorragias em vários órgãos e choque circulatório. Pode ocorrer também vômitos, tontura, dificuldades de respiração, dores abdominais intensas e contínuas e presença de sangue nas fezes. Não ocorrendo acompanhamento médico e tratamento adequado, o paciente pode falecer.

Jornal Midiamax