Geral

Vice-presidente paraguaio acusa Brasil e Argentina de não liberar internet

O vice-presidente paraguaio, Federico Franco, denunciou nesta quarta-feira que Brasil e Argentina não permitem a liberação total do serviço de internet que o Paraguai recebe, devido aos altos custos estabelecidos para o acesso. O político fez essa exigência durante a abertura da Cúpula das Tecnologias da Informação e Comunicações SummIT 2012, realizada em um hotel […]

Arquivo Publicado em 13/06/2012, às 20h53

None

O vice-presidente paraguaio, Federico Franco, denunciou nesta quarta-feira que Brasil e Argentina não permitem a liberação total do serviço de internet que o Paraguai recebe, devido aos altos custos estabelecidos para o acesso.

O político fez essa exigência durante a abertura da Cúpula das Tecnologias da Informação e Comunicações SummIT 2012, realizada em um hotel de Assunção.

“Vou a fazer uma reivindicação com muito respeito, mas com firmeza e cavalheirismo: o Paraguai é um país mediterrâneo, mas nossos vizinhos, em particular os grandes vizinhos, não nos permitem liberalizar totalmente a internet”, afirmou Franco em declarações reproduzidas pela agência pública “IPParaguay”.

O vice-presidente comentou que Brasil e Argentina não concedem ao Paraguai um preço razoável, já que o custo da banda larga continua sendo quase inatingível, porque 80% do custo dos serviços vem através do sistema de fibra ótica.

Por essa razão, opinou que é lógico que este país não tenha a possibilidade de acessar as fibras óticas que permitam utilizar um sistema de comunicação muito mais rápido, efetivo, ágil e barato.

Mencionou, além disso, que conversará com o presidente de seu país, Fernando Lugo, para que em próximos encontros internacionais possam negociar o acesso completo à internet através da conexão de fibras óticas.

O Paraguai ocupa uma posição muito baixa dentro do ranking global de acesso à internet, com menos de uma ou duas linhas de banda larga para cada 100 habitantes, segundo um relatório do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) divulgado no último mês de junho.

Jornal Midiamax