Geral

Três Lagoas registra um caso de gripe H1N1 dos 17 suspeitos

Apesar do baixo número de casos, devido à imunização pela vacina, população deve continuar atenta aos riscos da transmissão da doença

Arquivo Publicado em 18/07/2012, às 14h33

None

Apesar do baixo número de casos, devido à imunização pela vacina, população deve continuar atenta aos riscos da transmissão da doença

A Secretaria Municipal de Saúde de Três Lagoas registrou 17 casos suspeitos da Gripe A (H1N1), no período de 18 de maio a 17 de julho.


Desse total, foi confirmado apenas um caso, uma criança de dois meses, em tratamento na Capital; três casos aguardando resultado de exames laboratoriais; e o restante dos casos foi descartado, já que se tratava comprovadamente de gripe sazonal comum.


O reduzido número de casos de Gripe A se deve principalmente à meta atingida pela Secretaria Municipal de Saúde de Três Lagoas, na Campanha Nacional de Vacinação, quando foram imunizadas 15.840 pessoas dos grupos de risco, preconizados pelo Ministério da Saúde.


Além de idosos com mais de 60 anos, gestantes, crianças de até 2 anos e servidores da Saúde, também foram vacinadas a população carcerária e pessoas com doenças crônicas.


A meta preconizada pelo Ministério da Saúde era atingir 80% desse público alvo. No entanto, em Três Lagoas, a meta atingida foi de 84,69%, “o que nos dá uma grande margem de pessoas imunizadas contra a Gripe A”, observou a coordenadora do Setor de Endemias, Neide Yuki.


GRIPE H1N1


A Influenza A é uma doença respiratória causada pelo vírus A, identificado como sendo o vírus H1N1. As mutações no vírus nos últimos anos e a rápida transmissão de pessoa a pessoa, por meio de tosse, espirro ou de secreções respiratórias de pessoas infectadas, fizeram com que o Ministério da Saúde adotasse uma série de medidas e recomendações.


Além das campanhas de vacinação em massa, dando prioridade aos grupos de maior risco de contrair a doença, o Ministério da Saúde elaborou uma série de recomendações de prevenção à transmissão da gripe.


RECOMENDAÇÕES


Entre as principais recomendações estão as seguintes: ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com lenço descartável; evitar locais fechados com aglomeração de pessoas; evitar contato direto com pessoas doentes e usar máscaras cirúrgicas descartáveis em áreas afetadas com pessoas gripadas; não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal; evitar tocar olhos, nariz ou boca; e criar o hábito de lavar as mãos com frequência com água e sabão, especialmente, depois de tossir ou espirrar, completando a higienização com álcool gel.


SINTOMAS


Aparentemente, os sintomas da Gripe A se confundem com a gripe sazonal, comum nas épocas de frio. A suspeita deve ser diagnosticada pelo médico e a confirmação se obtém somente através de exame laboratorial.


É uma gripe, aparentemente comum, com tosse, acompanhada de febre alta repentina, acima de 38°C, falta de ar e fortes dores de cabeça, musculares e nas articulações.


A principal recomendação é que, tendo esses sintomas, o paciente deve procurar de imediato uma Unidade de Saúde mais próxima de sua residência e não usar medicamentos sem orientação e receituário médico.


Em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS), postos de Estratégia de Saúde da Família (ESF), Pronto Atendimento (PA), Clinicas Especializadas e Centro de Especialidades Médicas (CEM), o movimento de pacientes vem sendo normal.

Jornal Midiamax