Geral

TRE nega pedido de divulgação parcial da pesquisa do IPEMS em Campo Grande

Pesquisa do IPEMS foi considerada tendenciosa pela juíza da 36ª zona eleitoral, Elizateth Rosa Baisch

Arquivo Publicado em 03/09/2012, às 19h50

None

Pesquisa do IPEMS foi considerada tendenciosa pela juíza da 36ª zona eleitoral, Elizateth Rosa Baisch

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) negou pedido do jornal Correio do Estado para publicação parcial da pesquisa do IPEMS, considerada tendenciosa pela juíza da 36ª zona eleitoral, Elizateth Rosa Baisch. O mérito do recurso nem sequer chegou a ser apreciado por ser “manifestamente inadmissível”.


A decisão do desembargador Amaury da Silva Kuklinski leva em conta o fato de o agravo de instrumento com efeito suspensivo, apresentado pelo advogado do Correio do Estado Laércio Arruda Guilhem, não ser admitido neste tipo de processo.


“A parte não se atentou à questão processual pertinente à sua pretensão, pois incabível, na seara eleitoral, a figura do agravo de instrumento com pedido de antecipação de tutela da pretensão recursal (efeito suspensivo ativo), vez que, como é cediço, o Código de Processo Civil é aplicado apenas de forma subsidiária e complementar naquilo que não afrontar as disposições específicas desta Justiça Especializada”, alertou o desembargador na decisão.


No recurso, o Correio do Estado alega que a decisão da juíza “é equivocada” por entender que “bastaria retirar da pesquisa os itens reputados viciados em sua decisão e, não, suspender por completo a divulgação do resultado”. No entendimento da juíza, a pesquisa pode induzir o eleitorado a acreditar que é certa a presença do candidato governista Edson Giroto (PMDB) no segundo turno da eleição, violando o princípio da isonomia.


O pedido para barrar a publicação da pesquisa partiu das coligações a “Força do Povo”, do deputado estadual Alcides Bernal (PP) e da “Novo Tempo”, do candidato a prefeito Reinaldo Azambuja (PSDB).   

Jornal Midiamax