Geral

Tatuador que estuprou acadêmica na UFMS é condenado a 10 anos de prisão

O tatuador Robson Vander Lan, 30, que é acusado pelo Ministério Público por seis estupros em Campo Grande e responde preso, foi sentenciado em um deles a 8 anos de prisão pelo abuso sexual e 2 anos por roubo. A sentença foi dada pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Campo Grande pelo juiz Paulo […]

Arquivo Publicado em 08/03/2012, às 14h53

None

O tatuador Robson Vander Lan, 30, que é acusado pelo Ministério Público por seis estupros em Campo Grande e responde preso, foi sentenciado em um deles a 8 anos de prisão pelo abuso sexual e 2 anos por roubo. A sentença foi dada pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Campo Grande pelo juiz Paulo Afonso de Oliveira. Os outros processos de acusações correm na Justiça também em segredo.

A vítima nesse caso é uma estudante de química de 21 anos que foi violentada no dia 11 de abril em uma mata próxima do bloco 11 da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em Campo Grande. O advogado da jovem, Mansour Elias Karmouche que entrou com uma ação indenizatória contra a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) confirmou a sentença.

Na época, a Delegacia Especializada de Apoio à Mulher (DEAM), acreditava que até oito mulheres poderiam ter sido vítimas do tatuador.

Além do caso da UFMS, uma moradora do bairro Seminário, duas do Aero Rancho e uma do Nova Lima reconheceram na época, Robson como autor de estupros contra as mesmas, segundo a Polícia Civil.

Em outro crime, uma adolescente de 14 anos, moradora do bairro Joquei Clube sofreu tentativa de estupro e foi roubada em setembro de 2010. Ela reconheceu Robson após as imagens veiculadas na mídia.

Quando preso, Robson fez testes de Aids e Hepatite que deram negativo. As vítimas também foram submetidas aos exames. No ano passado Robson revelou ao Midiamax que começou a praticar este tipo de crime e também roubos quando ainda era menor de idade, na cidade de Bragança, interior de São Paulo.

De acordo com a polícia, Robson é evadido do presídio semiaberto de Campo Grande desde 2009. No ano 2000, ele matou a facadas uma namorada que estava grávida.

Quando tinha 12 anos, ele e outros amigos estupraram uma menina e queimaram parte do corpo dela utilizando bitucas de cigarro.

Jornal Midiamax