Geral

Tabárez elogia Felipão e vê Brasil ‘exigente demais’ com futebol

Conquistar a Copa América de 2011 com o Uruguai não foi o bastante para que o técnico Oscar Tabárez eleja sua seleção como a melhor do continente. Em entrevista concedida ao site da Fifa nesta quarta, o treinador rasgou elogios ao futebol brasileiro e ao atual técnico da Seleção, Luiz Felipe Scolari. “Ele [Scolari] já […]

Arquivo Publicado em 26/12/2012, às 11h57

None

Conquistar a Copa América de 2011 com o Uruguai não foi o bastante para que o técnico Oscar Tabárez eleja sua seleção como a melhor do continente. Em entrevista concedida ao site da Fifa nesta quarta, o treinador rasgou elogios ao futebol brasileiro e ao atual técnico da Seleção, Luiz Felipe Scolari.


“Ele [Scolari] já demonstrou a capacidade que tem como treinador em muitas oportunidades. Além disso, tem experiência na Seleção, que é um time particular muito particular. O cargo [de técnico de uma seleção] por si só já é algo difícil, mas no Brasil me parece que [essa dificuldade] chega a extremos”, disse o treinador.


De acordo com Tábarez, essa repercussão que os assuntos futebolísticos – principalmente os negativos – ganham no Brasil parece desproporcional para quem está fora do país.


“Vou dar um exemplo: os jornalistas do Brasil, na coletiva de imprensa [da Copa das Confederações, realizada no último dia 30], me perguntavam sobre o ‘estancamento do futebol brasileiro’. E eu me espantei. Me pareceu que eles têm uma visão exigente demais da realidade. Não se pode ganhar sempre, e eles são os que mais vezes ganharam a Copa do Mundo. É evidente que essa supremacia não irá se manter indefinidamente, mas isso não é sinônimo de estancamento”, afirmou.


Mesmo assim, tantos elogios ao futebol brasileiro não impediram Tabárez de exaltar a evolução recente do futebol uruguaio, cuja seleção, sob seu comando, ficou em quarto lugar na Copa do Mundo de 2010, além de ter conquistado a própria Copa América.


“Nós não temos a mesma quantidade de jogadores de elite [que o Brasil], apesar de termos alguns, o que eleva o nosso entusiasmo quando os enfrentamos. Mas também nos estabelecemos e demonstramos tanto na Copa do Mundo quanto na Copa América que podemos ser um rival difícil para qualquer um”, garantiu.

Jornal Midiamax