Geral

Sistema de segurança das Olím em Londres poderá contar com mísseis terrestres

O ministro da defesa britânico, Philip Hammod, afirmou nesta segunda-feira que o Reino Unido estuda a possibilidade de instalar mísseis terrestres em alguns pontos de Londres com objetivo de reforçar a segurança dos Jogos Olímpicos. Em discurso no Parlamento britânico, Hammons afirmou que o governo ainda vai chegar a uma “decisão final sobre a instalação […]

Arquivo Publicado em 11/06/2012, às 16h29

None
1211641253.jpg

O ministro da defesa britânico, Philip Hammod, afirmou nesta segunda-feira que o Reino Unido estuda a possibilidade de instalar mísseis terrestres em alguns pontos de Londres com objetivo de reforçar a segurança dos Jogos Olímpicos.


Em discurso no Parlamento britânico, Hammons afirmou que o governo ainda vai chegar a uma “decisão final sobre a instalação de sistemas de defes aérea em terra” como parte de um plano de segurança. Deste projeto participarão 13.500 militares.


“Assim que tomarmos a decisão, informarei esta Câmara e depois conversarei com o Exército para que avisem os moradores das regiões (onde seriam instalados os mísseis), a fim de que eles fiquem cientes das implicações desta iniciativa”, explicou o ministro. Os mísseis serão instalados no topo de alguns edifícios. Segundo Hammond, eles “não trarão perigo aos moradores”.


No mês passado, as Forças Armadas do Reino Unido iniciaram uma série de treinamentos em Londres para simular o sistema de segurança dos Jogos. Na competição que será realizada entre os dias 27 de julho e 12 de agosto, serão utilizados helicópteros e aviões de combate.


O ministro afirmou que o treino “cumpriu com seus objetivos” e que o Exército está “preparado para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos e para apoiar o trabalho da polícia”.


A segurança, junto com o transporte, é uma das principais preocupações das autoridades britânicas. O sistema planejado pelos londrinos custará cerca de 700 milhões de euros e vai envolver mais de 42.000 pessoas entre militares, policiais, agentes privados e voluntários.


Jornal Midiamax