Geral

Sindivest e Fundacentro divulgam inovações ergonômicas às indústrias

O Sindivest/MS (Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Vestuário, Tecelagem e Fiação de Mato Grosso do Sul) e a Fundacentro vão levar às indústrias do segmento do vestuário e têxtil as inovações ergonômicas que devem melhorar as condições de trabalho das costureiras industriais. Na manhã desta terça-feira (12), representantes do Sindicato e do Ministério do Trabalho […]

Arquivo Publicado em 12/06/2012, às 17h43

None
1229580517.jpg

O Sindivest/MS (Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Vestuário, Tecelagem e Fiação de Mato Grosso do Sul) e a Fundacentro vão levar às indústrias do segmento do vestuário e têxtil as inovações ergonômicas que devem melhorar as condições de trabalho das costureiras industriais. Na manhã desta terça-feira (12), representantes do Sindicato e do Ministério do Trabalho reuniram-se na fábrica da Universo Íntimo, em Campo Grande (MS), para que fossem apresentadas as novidades ergonômicas mais aconselhadas.


Para o vice-presidente do Sindivest/MS, Antônio Brechigliari Filho, o momento é oportuno para a discussão do assunto em decorrência do crescimento do segmento em Mato Grosso do Sul. “Toda e qualquer inovação com relação ao posto de trabalho das nossas trabalhadoras é sempre bem vinda e tenho certeza que os resultados a médio e longo prazo serão os melhores possíveis”, avaliou.


Já o ergonomista e designer tecnologista da Fundacentro, Ricardo Serrano, responsável por desenvolver os móveis modelos para as indústrias do vestuário e têxtil, explica que as peças foram feitas durante os últimos quatro anos. “Desde a cadeira, o apoio para os pés, a mesa para a máquina de costura, tanto do segmento têxtil, quanto do calçadista, e até mesmo a iluminação adequada foram elaboradas para o maior conforto do trabalhador, que passa mais tempo no ambiente de trabalho do que na própria casa”, lembrou.


Ele acrescenta que são soluções simples e que melhoram em 100% a vida da costureira e também do empregador, que acaba por realizar um trabalho preventivo dentro da própria indústria, evitando afastamentos e faltas. De acordo com a coordenadora nacional de saúde, segurança e meio ambiente no trabalho da Conacovest (Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias do Setor Têxtil, Vestuário, Couro e Calçados), Milene Rodrigues, em 2001 começou a ser desenvolvido na cidade de Birigui (SP) o projeto para renovar todo o mobiliário ergonômico nas empresas e indústrias de confecção.


“Desde então, começamos a testar e padronizar o que existe de melhor em termos de cadeiras, apoio para os pés e mesas de máquinas de costura, visando a qualidade de vida das costureiras e reduzindo o índice de faltas e afastamento por causa de problemas de saúde ocasionados pelo trabalho repetitivo”, disse Milene Rodrigues. Ela ressalta que em 2009 o projeto foi estendido a demais Estados para que novos testes fossem feitos e que outras empresas do setor pudessem ser ouvidas.


A técnica em segurança do trabalho da Universo Íntimo, Jenifer Ximenes  Laranjeira, explica que uma  nova mesa, o novo descanso para os pés e a nova iluminação ficarão por prazo indeterminado na fábrica, onde passarão por testes. “Esperamos que essas inovações sejam bem aceitas por nossas trabalhadoras, visto que trazem um imenso benefício para ambos”, disse.

Jornal Midiamax