Geral

Sidrolândia atinge 81.900 hectares plantados de milho

Mato Grosso do Sul é destaque com o milho, embora não apareça entre os cinco maiores estados produtores brasileiros, tem três municípios entre os 20 maiores. Maracaju, Dourados e Sidrolândia ocupam a 5ª, 17ª e 18ª maiores produções brasileiras respectivamente. No levantamento do IBGE, Maracaju aparece como maior produtor com 149.900 hectares e produção de […]

Arquivo Publicado em 28/10/2012, às 01h25

None
717540663.jpg

Mato Grosso do Sul é destaque com o milho, embora não apareça entre os cinco maiores estados produtores brasileiros, tem três municípios entre os 20 maiores. Maracaju, Dourados e Sidrolândia ocupam a 5ª, 17ª e 18ª maiores produções brasileiras respectivamente.

No levantamento do IBGE, Maracaju aparece como maior produtor com 149.900 hectares e produção de R$ 233 milhões de produção, seguido por Dourados com 90.200 hectares e R$ 94,6 milhões. Sidrolândia ficou em terceiro lugar ao atingir 81.900 hectares e valor de produção de R$ 90 milhões.

A área total plantada chegou a 999.894 hectares em todo Estado e com um valor de produção de R$ 1,3 bilhão. Para o IBGE, o desempenho da lavoura ficou comprometido pelo excesso de chuvas na fase da colheita.

Entre os produtores de soja, MS tem a 5ª maior produção nacional de soja com 1,7 milhão de hectares que resultaram em produção de 5 milhões de toneladas e valor de produção de R$ 3,31 bilhões.

Maracaju aparece como único representante estadual no ranking dos 20 maiores municípios produtores do grão. No ano do levantamento, a área plantada chegou a 199 mil hectares, 623 mil toneladas e faturamento de R$ 396 milhões e 14º maior produtor nacional.

Foi registrado rendimento médio de 2,9 toneladas por hectare planto de soja.

O levantamento mostrou ainda o crescimento de 32% no valor pago pela tonelada de soja de MS na comparação entre 2010 e 2011. Há dois anos, o preço médio era R$ 492 pela tonelada da oleaginosa e passou para R$ 653 a tonelada no ano passado. O resultado mostra uma recuperação do retorno ao produtor, já que no ano de 2009 o valor pago era de R$ 650 a tonelada e caiu para R$ 492 no ano seguinte, o que representou uma queda de 24%

A pesquisa de produção agrícola do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) aponta Mato Grosso do Sul como destaque na produção de cana-de-açúcar país. No Estado, o crescimento da área de cana foi o maior do Brasil no ano de 2011, com avanço de 24,1% na comparação com o ano anterior, e a quinta posição no ranking nacional.

Segundo o IBGE, a área dos canaviais sul-mato-grossenses chegou a 495.821 hectares e 34.976.698 toneladas, com valor de produção de R$ 1,9 bilhão e de 4,8% da produção nacional.

O crescimento da área foi atrapalhado por geadas e pelo excesso de florescimento, que também atingiu São Paulo e o Paraná. Os canaviais paulistas seguem na liderança da cultura no país, com 5.205.841 hectares.

Rio Brilhante é o maior produtor sul-mato-grossense de cana, com 76.690 hectares e faturamento de R$ 294 milhões. Na comparação ao levantamento anterior, o município caiu uma posição no ranking nacional de produção e hoje é o terceiro maior produtor do país.

Jornal Midiamax