Geral

Shopping de Campo Grande recebe exposição da Escola Juliano Varela

Exposição traz 25 quadros pintados por crianças e jovens com Síndrome de Down, inspirados nas obras de Gustavo Rosa e Ivan Cruz, além de artesanatos

Arquivo Publicado em 20/11/2012, às 14h42

None

Exposição traz 25 quadros pintados por crianças e jovens com Síndrome de Down, inspirados nas obras de Gustavo Rosa e Ivan Cruz, além de artesanatos

Começou nesta segunda-feira (19), na Praça de Eventos do Norte Sul Plaza, ao lado da Renner, a exposição de telas e artesanatos de crianças e jovens da Escola Juliano Varela especializada no atendimento em Síndrome de Down. São 25 quadros pintados à mão, que fazem uma releitura dos trabalhos dos artistas Gustavo Rosa e Ivan Cruz, que poderão ser apreciados e até comprados pelos visitantes. De acordo com a diretora da instituição, Cleone Rodrigues Ferreira, o objetivo dessa exposição é valorizar o trabalho desenvolvido pelas crianças nas aulas de artes e arrecadar dinheiro para a instituição que atende centenas de pessoas gratuitamente. A mostra vai até sábado (24) e o horário de atendimento ao público vai de 10h às 22h e caso o visitante queira comprar alguma das peças o pagamento pode ser feito somente à vista.


Os artistas Gustavo Rosa e Ivan Cruz


Gustavo Rosa nasceu em São Paulo, em 20 dezembro de 1946. É pintor, desenhista e gravador, considerado um dos mais criativos artistas de sua geração. O artista não segue uma escola específica, tendência ou modismo. Criou uma obra pessoal, com linguagem própria e personagens de um inesgotável humor caricatural. Já o carioca Ivan Cruz resolveu deixar o Direito para se dedicar à Arte, e mais especificamente à pintura, vindo a se tornar artista plástico. Ele tem como temas preferidos as brincadeiras de rua que marcaram sua infância, vivida nos anos 1940/1950.


Sociedade Juliano Varela


A Sociedade Educacional Juliano F. Varela acolhe a pessoa com Síndrome de Down, educa e socializa favorecendo a sua inclusão junto à sociedade. Oferece aos bebês atendimento clínico nas áreas de fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional e apoio psicológico à família. O trabalho estimula o desenvolvimento global, orienta na alimentação e auxilia no desenvolvimento da fala e linguagem. Também oferece programa pedagógico a partir do Nível 1 da Educação Infantil, quando a criança com Síndrome de Down inicia os primeiros passos, todos com planejamento individualizado.


O programa se estende da educação Infantil para o Ensino Fundamental e Educação profissional com a Formação Continuada de Trabalhadores.


Síndrome de Down


A Síndrome de Down não é uma doença. É uma alteração genética natural, que no Brasil acontece em 1 a cada 700 nascimentos e está presente em todas as raças. Por motivos ainda desconhecidos, durante a gestação as células do embrião são formadas com 47 cromossomos no lugar dos 46 que se formam normalmente. Os efeitos do material extra variam enormemente de criança, mas, pode-se dizer que as principais características são os olhinhos puxados, o bebê ser mais molinho e o desenvolvimento em geral de dar em um ritmo mais lento.


Com o apoio para o seu desenvolvimento e a inclusão em todas as esferas da sociedade, as pessoas com Síndrome de Down têm rompido muitas barreiras. Hoje, há pessoas com Síndrome de Down estudando, trabalhando, vivendo sozinhas, escrevendo livro e até chegando à universidade.


Serviço


A exposição de telas e artesanatos dos alunos da Escola Juliano Varela no Norte Sul Plaza começa nesta segunda-feira (19) e vai até sábado (24), na Praça de Eventos do shopping, ao lado da loja Renner. O horário de atendimento ao público é de 10h às 22h. Mais informações pelo telefone 3044-3900.

Jornal Midiamax