Geral

‘Setor rural precisa de mais investimentos em pesquisa e na capacitação’, diz ministro Ministério da Agricultura

Nessa quarta-feira (25) várias autoridades e representantes do setor rural participaram da abertura do Showtec 2012, o maior evento de tecnologia rural do Centro-Oeste. Na atual edição, realizada em Maracaju, a 160 kms da capital, a estimativa é que 15 mil pessoas participem buscando novidades tecnológicas para a agricultura. Neste ano, o evento comemora também […]

Arquivo Publicado em 27/01/2012, às 00h10

None

Nessa quarta-feira (25) várias autoridades e representantes do setor rural participaram da abertura do Showtec 2012, o maior evento de tecnologia rural do Centro-Oeste. Na atual edição, realizada em Maracaju, a 160 kms da capital, a estimativa é que 15 mil pessoas participem buscando novidades tecnológicas para a agricultura. Neste ano, o evento comemora também 20 anos da Fundação MS.

Produtores, empresários, parceiros, colaboradores, entre outros, aproveitam para trocar experiências e buscar novos caminhos para as diversas atividades no campo. “Para aumentar a produtividade na agropecuária nacional, o Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer. Precisamos trabalhar no eixo da sustentabilidade, definindo e investindo em novas linhas de pesquisa e na capacitação do produtor rural, para que ele produza com mais eficiência”, avaliou o ministro interino da Agricultura e Pecuária, José Carlos Vaz, que participou da abertura do Showtec 2012.

“O Brasil precisa de uma política agrícola moderna para que produtores e investidores não tenham surpresas e principalmente investir em uma política que foque a produção e renda sazonal do produtor; assim pode trabalhar e enfrentar os riscos e adversidade com mais tranqüilidade, sem geração de impacto em sua propriedade”, complementou o ministro.

Para o presidente da Fundação MS, realizadora do Showtec, o produtor rural de Mato Grosso do Sul é modelo em inovação e superação de crise. “Nosso produtor é pioneiro porque tem contribuído, ao longo desses 20 anos, com as pesquisas que alavancaram a produção no Estado. São produtores conscientes porque são cobrados pela excelência e profissionalismo”, afirma Luis Alberto Moraes Novaes.

A governadora de Mato Grosso do Sul em exercício, Simone Tebet, ressaltou o peso do trabalho feito no Estado. “Somos o celeiro do Brasil e do mundo. A sustentabilidade passa pela produção do agronegócio com a geração de energia limpa, por exemplo. As grandes indústrias que têm se instalado aqui vem em busca da nossa produção”, concluiu Simone.

Em Mato Grosso do Sul, são aproximadamente 55 mil produtores rurais e o agronegócio hoje é responsável por 16,6% do PIB estadual. “O que mostra a força que o produtor rural tem. Ao longo dos anos, demonstramos o comprometimento e a garra do nosso produtor que sobrevive às crises e se fortalece ainda mais para enfrentar os desafios de contribuir na missão do Brasil de alimentar o mundo”, analisou o presidente da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de MS), Eduardo Riedel.

Com informações de Luciana Modesto, da Sato Comunicação.

Jornal Midiamax