Geral

Sete guerrilheiros das FARC mortos em operação militar na Colômbia

Sete guerrilheiros das Farc morreram e outros cinco foram capturados em uma operação militar realizada nesta segunda-feira no centro do país, informou o ministro da Defesa, Juan Carlos Pinzón, pouco depois de o grupo confirmar diálogos com o governo. Em declarações à imprensa, Pinzón indicou que uma operação conjunta da Força Aérea e Exército em […]

Arquivo Publicado em 03/09/2012, às 18h26

None

Sete guerrilheiros das Farc morreram e outros cinco foram capturados em uma operação militar realizada nesta segunda-feira no centro do país, informou o ministro da Defesa, Juan Carlos Pinzón, pouco depois de o grupo confirmar diálogos com o governo.


Em declarações à imprensa, Pinzón indicou que uma operação conjunta da Força Aérea e Exército em Puerto Concordia, região rural do departamento de Meta (centro), na madrugada desta segunda-feira resultou em sete mortos entre os guerrilheiros das FARC, além da captura de outros cinco.


Entre os presos está o “terceiro líder” da sétima frente do grupo guerrilheiro, que era o alvo da operação militar, disse o ministro, sem fornecer mais detalhes.


“Isso demonstra a vontade das forças públicas de trabalhar incansavelmente para afetar qualquer organização que vai contra o povo colombiano e que se dedica ao terrorismo e à criminalidade”, acrescentou.


Hoje, as Farc divulgaram um vídeo que confirmava a sua disposição em iniciar um processo de paz com o governo colombiano.


“Chegamos à mesa de negociações sem rancor ou arrogância”, disse o comandante das Farc, Rodrigo Londoño, conhecido como Timoleon Jimenez ou Tymoshenko. “Nós juramos vencer e vamos vencer”, acrescentou.


O presidente Juan Manuel Santos revelou em 27 de agosto que foram realizadas “conversas exploratórias” entre seu governo e as Farc para acabar com o conflito armado que já dura quase 50 anos e alertou que, durante esse processo, as operações militares serão mantidas.


As FARC, fundadas em 1964, é a principal guerrilha do país, com cerca de 9.200 combatentes.

Jornal Midiamax