Geral

Sessão solene vira tributo à postura ética e a honestidade de Nelson Trad

A postura ética, o exemplo moral, a retidão e a honestidade do ex-deputado federal Nelson Trad, que faleceu no dia 7 de dezembro do ano passado, foram os tópicos dos 24 discursos proferidos por deputados federais e senadores durante a sessão em homenagem póstuma ao parlamentar sul-mato-grossense. A solenidade, que durou mais de três horas, […]

Arquivo Publicado em 17/04/2012, às 19h09

None

A postura ética, o exemplo moral, a retidão e a honestidade do ex-deputado federal Nelson Trad, que faleceu no dia 7 de dezembro do ano passado, foram os tópicos dos 24 discursos proferidos por deputados federais e senadores durante a sessão em homenagem póstuma ao parlamentar sul-mato-grossense. A solenidade, que durou mais de três horas, foi realizada na manhã de hoje (17), na Câmara dos Deputados, em Brasília.


Na sessão, realizada por solicitação do deputado federal Edson Giroto (PMDB), os parlamentares fizeram pronunciamentos sobre a trajetória política de Nelson Trad, exaltaram o seu posicionamento político coerente, com “atuação equilibrada, erudita e lúcida”, destacou o deputado federal Vicente Arruda (PR/CE), que integrou com Trad a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. “Ele não representava nenhum partido, ele tirava a camisa partidária e vestia a do tutor do direito”, destacou Arruda, completando, com voz embargada, que “descobri que ele, na vida privada, não deixava de ser um homem público que sempre foi”.


A esposa de Nelson Trad, Terezinha, e os filhos Nelsinho, Fabio, Marquinhos, Fátima e Maria Tereza e familiares se emocionaram durante a sessão solene com as manifestações de carinho e reconhecimento do senador Waldemir Moka (PMDB), dos deputados sul-mato-grossenses Edson Giroto, Geraldo Resende (PMDB), Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Reinaldo Azambuja (PSDB).


Também utilizaram o microfone os deputados Mauro Benevides, Nelson Marquezelli, Edinho Bez, Vicente Arruda, Rose de Freitas, Ricardo Izar, Paulo Teixeira, Edinho Araujo, Julio Delgado, Simão Sessim, Lincoln Portela, Luiz Couto, Francisco Escórcio, Félix Mendonça Júnior, Paes Landim, Luiz Couto, Chico Alencar, Osmar Serraglio, Júlio Coimbra. Ainda usou a tribuna o secretário de Estado de Habitação e das Cidades de Mato Grosso do Sul, Carlos Marun.


Emoção


Em vários momentos, os filhos de Nelson Trad choraram durante a homenagem. Mas o momento mais emotivo foi durante a apresentação do Coral Meninas Cantoras de Porto Murtinho, que levou às lágrimas o prefeito de Campo Grande, o deputado estadual Marquinhos Trad, Fábio Trad, e suas irmãs Maria Tereza e Fátima. Neste instante, Nelsinho colocou as mãos no rosto de tanta emoção.


Após os pronunciamentos, Marquinhos fez um desabafo. “Nunca gostei disso aqui (mostrando o plenário da Câmara), durante 7,3 mil dias isso aqui me tirou da convivência com meu pai. Hoje, eu pude ver, através dos depoimentos, o grande homem que ele foi. Hoje, vi que ele não só pensou em mim, sempre pensou no coletivo”, afirmou Marquinhos, lembrando que seu pai dizia. “Meu pai falava pra gente: filho nunca tire Deus da sua vida, pois o dia em que ele não estiver com você, a moral se torna relativa”, explicando que sem Deus acabam todos os princípios. 


O deputado federal Fábio Trad ressaltou a integridade do pai. “Foi um homem que dedicou 52 anos a vida pública e saiu com a ficha limpa”, destacando que as conquistas dos três filhos na política são resultados da boa educação. “Ele (Nelson Trad) nunca se permitiu dar aos filhos os privilégios da vida pública”, enfatizou Fábio.


Proponente da sessão, Giroto pediu 30 segundos de silêncio em homenagem e respeito a Nelson Trad, destacando que: “Vou erguer meus olhos para poder, naquilo que eu errei, ele me desculpar. Tenho a agradecer tudo o que ele fez por mim, pelo nosso Estado e pela nossa Campo Grande”.

Jornal Midiamax