Geral

Servidores de Douradina denunciam compra de marmitex fantasma de mais de R$ 100 mil

Pelos cálculos feito pelo prefeito Darcy Freire (PDT) o valor da licitação daria para abastecer as secretarias por 6 anos e meio

Arquivo Publicado em 24/08/2012, às 09h50

None
1847714974.jpg

Pelos cálculos feito pelo prefeito Darcy Freire (PDT) o valor da licitação daria para abastecer as secretarias por 6 anos e meio

Após as denúncias do Midiamax sobre o superfaturamento de marmitex pela prefeitura de Três Lagoas, servidores da prefeitura de Douradina enviaram um resultado de licitação à reportagem denunciando compra irregular de comida no município. De acordo com os funcionários, uma licitação para compra de refeições e marmitex no valor de R$ 106,2 mil foi publicada, mas eles nunca viram as tais refeições por lá.

Um servidor da Secretaria de Educação do município, que preferiu não se identificar por medo de represália, informou que trabalha há 12 anos na prefeitura e que nunca ouviu falar em marmitex. “Faz muitos anos que eu não sei o que é um marmitex. Nós não sabíamos que tinha isso aqui até ver a publicação dos atos oficiais no jornal”, contou.

De acordo com a denúncia encaminhada pelos servidores, o horário de funcionamento da prefeitura é das 07h às 12h de segunda a sexta-feira e todos almoçam em casa. “O único lugar da administração que funciona o dia todo é o posto de saúde, mas lá fecha na hora do almoço”, declarou uma servidora da secretaria de saúde de Douradina.

A licitação de compra de marmitex foi publicada no jornal douradense “O Progresso”, uma vez que o município não publica seus atos em diário oficial. As empresas vencedoras da licitação de refeições e marmitex foram Credenilson Gomes Teixeira de Castro ME com R$ 47,4 mil e Suely da Silva Santos com R$ 58,8 mil, totalizando R$ 106,2 mil.

O documento foi assinado em 22 de junho de 2012, pelo presidente da comissão permanente de licitação, Devair Soares Archilla. Nela consta que o contrato é referente “fornecimento de refeições e marmitex para atender as diversas Secretarias do Município”.

Procurado pela reportagem, o prefeito de Douradina, Darcy Freire (PDT), informou que o marmitex existe e atribuiu caráter político as denúncias. “Nós damos marmitex para o abrigo, assistência social, secretaria de obras que estão no trecho, conselho tutelar, motoristas. Nossa média de gasto é de R$ 1.400,00, que dá 128 marmitex por mês, mas esse contrato pode ser aditivado por dois ou três anos se o valor sobrar”, declarou.

Pelos cálculos do prefeito, o marmitex sai em média R$ 10,90 cada. Ao custo de R$ 1,4 mil por mês a refeição fica em R$ 16,8 mil por ano. Comparando com o valor licitado de R$ 106,2 mil, daria para comprar marmitex, ao custo de R$ 10,90 por cerca de seis anos e meio.

Jornal Midiamax