Geral

Sepultamento de empresário assassinado em Ponta Porã será a tarde

O corpo do empresário e diretor do Jornal da Praça, Luiz Henrique Georges, conhecido como Tulu, após ser liberado pelo IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) de Ponta Porã no final da noite de ontem, quinta-feira (4), passou a ser velado na Capela que é administrada pelo Pax Primavera ao lado do Hospital da […]

Arquivo Publicado em 05/10/2012, às 13h15

None

O corpo do empresário e diretor do Jornal da Praça, Luiz Henrique Georges, conhecido como Tulu, após ser liberado pelo IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) de Ponta Porã no final da noite de ontem, quinta-feira (4), passou a ser velado na Capela que é administrada pelo Pax Primavera ao lado do Hospital da Cassems no Bairro Santa Izabel. O sepultamento do empresário deverá acontecer por volta das 16 horas no cemitério Cristo Rei no Bairro da Saudade, em Ponta Porã.


O caso


O empresário Luiz Henrique Georges seguia em seu veículo, uma Mitsubishi Pajero Dakkar, com placas HTO-2807, de Ponta Porã, por volta das 16h de quinta-feira, (4) em direção a sua residência que se localiza no bairro da Granja, em torno de 500 metros do local do acontecido, quando pistoleiros em uma caminhonete modelo Blazer , cor preta, atiraram contra o veículo, de acordo com a pericia da policia civil, com Fuzil M16.


No carro estavam ainda duas pessoas da confiança do empresário, sendo Gordo Veras, que também morreu no local e Ananias Duarte, que foi levado para o hospital pela Unidade do Corpo de Bombeiros, foi medicado ainda na tarde de ontem e não corre risco de morte.


O crime aconteceu a 100 metros do local em que foi morto no dia 12 de fevereiro deste ano, o editor do Jornal da Praça, Paulo Roberto Cardoso Rodrigues, de 51 anos, conhecido como Paulo Rocaro.


O duplo homicídio e a tentativa contra Ananias Duarte está sendo investigada pelo 1º DP, que tem como delegado titular o Dr. Clemir Vieira Junior e também pelo Dr. Odorico de Mendonça Mesquita, o mesmo que é responsável pelo inquérito que apura a morte do Jornalista Paulo Rocaro, cujo crime está a exatos 236 dias sem nenhuma informação a imprensa.

Jornal Midiamax