Geral

Sem estrelas, Muricy usa retranca e Santos quebra invencibilidade do Guarani em Campinas

Sem contar com suas estrelas, o Santos não brilhou em campo, mas conseguiu vencer o Guarani por 2 a 0, nesta quarta-feira, no estádio Brinco de Ouro, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. O técnico Muricy Ramalho optou pela retranca, escalou três zagueiros e fez a marcação atrás da linha da bola. No entanto, o […]

Arquivo Publicado em 01/03/2012, às 02h01

None

Sem contar com suas estrelas, o Santos não brilhou em campo, mas conseguiu vencer o Guarani por 2 a 0, nesta quarta-feira, no estádio Brinco de Ouro, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. O técnico Muricy Ramalho optou pela retranca, escalou três zagueiros e fez a marcação atrás da linha da bola. No entanto, o meia Ibson abriu o placar aos seis minutos da etapa inicial, e Arouca fechou o marcador aos 44 minutos dos segundo tempo, em um dos poucos ataques da equipe santista na partida.


Com o resultado, o Santos chega a 24 pontos e ultrapassa o Guarani, que permanece com 22 pontos ganhos na classificação. A vitória santista também quebra a invencibilidade do Guarani no Brinco de Ouro, que tinha 100% de aproveitamento, com cinco jogos e cinco vitórias.


O Santos entrou em campo com cinco desfalques. Além de não contar com Neymar, Paulo Henrique Ganso e Rafael, convocados para a seleção brasileira, e Fucile, defendendo a seleção do Uruguai, o técnico Muricy Ramalho perdeu o atacante Borges, gripado.


O jovem Dimba foi o camisa 9, deu uma assistência de peito para o gol de Ibson, mas foi substituído por Felipe Anderson no final do primeiro tempo. A equipe santista entrou em campo com três zagueiros. Henrique formou o trio ao lado de Edu Dracena e Durval. A intenção do técnico Muricy Ramalho foi aproveitar a velocidade dos alas Crystian e Juan.


A estratégia surtiu efeito aos seis minutos. Juan chegou em velocidade ao ataque e cruzou na área para Dimba, que ajeitou de peito para o meia Ibson chutar forte e abrir o marcador. Após fazer o gol, o Santos se fechou e só voltou a assustar o Guarani no primeiro tempo, com um chute de longe de Juan, que Emerson espalmou. 


O Guarani enfrentou dificuldades para sair jogando, pois Muricy optou por fazer a marcação atrás da linha da bola após abrir o placar. Mesmo assim, o Santos tinha problemas com os lançamentos de Fumagalli para Fabinho no lado esquerdo do ataque. Rápido, o atacante do Guarani levou vantagem contra os marcadores Crystian e Henrique no setor. 


Além disso, a preocupação aumentava com o mau desempenho do goleiro Aranha, que parecia nervoso na partida. O jogador, que atuou seis anos na Ponte Preta e provocou o rival Guarani antes da partida, falhou bastante. Aranha deixou a bola escapar em duas oportunidades, em chutes e cruzamentos sem perigo do adversário, e quase o Santos sofreu o gol.


No segundo tempo, o Santos continuou bastante recuado e apostando nos contra-ataques. Com isso, o Guarani jogava mais no campo de ataque e encurralava a equipe santista na defesa. No entanto, o time de Vadão não conseguia acertar o ‘último passe’ (assistência para o gol) e expôs dificuldades na criação das jogadas.


O Guarani quase aproveitou mais uma falha do goleiro Aranha para empatar o jogo. Fábio Bahia cruzou para Bruno Mendes, que cabeceou na saída do goleiro e a bola passou perto do travessão. A equipe de Campinas teve a última oportunidade, com um chute de fora da área de Danilo. Se não bastasse, Arouca fechou o marcador tocando na saída do goleiro Emerson.


Jornal Midiamax