Geral

Sem avanço em negociação com governo, Fetems fará ato pelo piso salarial

Nesta segunda-feira (15), representantes da Fetems (Federação dos Trabalhadores da Educação do Mato Grosso do Sul) se reuniram com o governador André Puccinelli para reabrir as negociações sobre as reivindicações da categoria. A principal reivindicação da categoria se refere a ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade) número 4848, que derruba a lei que institui o piso […]

Arquivo Publicado em 15/10/2012, às 18h10

None
611021587.jpg

Nesta segunda-feira (15), representantes da Fetems (Federação dos Trabalhadores da Educação do Mato Grosso do Sul) se reuniram com o governador André Puccinelli para reabrir as negociações sobre as reivindicações da categoria. A principal reivindicação da categoria se refere a ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade) número 4848, que derruba a lei que institui o piso salarial nacional, e concede reajuste aos profissionais conforme o custo-aluno.

Segundo o presidente da Fetems, Roberto Magno Botareli César, Puccinelli propôs o reajuste a partir de 2014, o que não atende ao pleito da categoria. “Amanhã (16) será realizada uma assembleia extraordinária onde discutiremos a proposta. Acredito que 80% recusem. Por enquanto a mobilização do dia 18 está mantida.”, revela.

Para a próxima quinta-feira, dia 18, está agendado um grande Ato Público com o apoio da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), contra os seis governadores responsáveis pela ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade) n° 4848, no STF (Supremo Tribunal Federal), entre eles o governador André Puccinelli.

A Ação possui o intuito de derrubar o artigo 5º da ‘Lei do Piso Salarial Nacional’, que concede reajuste aos profissionais conforme o custo-aluno. Caso seja aprovada, o cálculo será feito através do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), bem abaixo do conquistado pela categoria e em 10 anos os professores brasileiros estarão ganhando um salário mínimo.

Proposta

Entre as reivindicações está à implantação de 1/3 de hora-atividade para o planejamento de aulas na rede estadual de ensino, unificação da carreira dos professores e administrativos em educação da rede estadual de ensino em MS, para que os funcionários das escolas públicas possam ter um reajuste salarial mais digno, sejam reconhecidos como educadores e tenham uma carreira mais justa. Além disso, a FETEMS está batalhando para que o Governo do Estado realize concurso público para professores e administrativos e implante uma política salarial justa para 2013 e 1014.

Jornal Midiamax