Geral

Sem audiências, CPI do Cachoeira examinará documentos e agendará depoimentos

Em nota divulgada nesta sexta-feira (15), o presidente da CPI do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), anunciou a decisão de não convocar reuniões públicas para a próxima semana, que será dedicada a trabalhos internos de investigação e preparação da agenda das próximas audiências. Ao tomar a decisão, o presidente da CPI levou em consideração […]

Arquivo Publicado em 15/06/2012, às 21h08

None

Em nota divulgada nesta sexta-feira (15), o presidente da CPI do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), anunciou a decisão de não convocar reuniões públicas para a próxima semana, que será dedicada a trabalhos internos de investigação e preparação da agenda das próximas audiências.


Ao tomar a decisão, o presidente da CPI levou em consideração o envolvimento do Congresso nas atividades da Conferência Rio+20 e também a necessidade de exame do grande volume de informações que tem chegado à CPI. Vital do Rêgo explicou que a interrupção das audiências não traz prejuízo à comissão, que terá que agendar os depoimentos de mais de quarenta testemunhas e indiciados.


Segue a íntegra da nota do senador Vital do Rêgo:


“Como é do amplo conhecimento público, a próxima semana será marcada por evento de expressiva importância internacional, a Conferência Rio+20, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), acontecimento para o qual convergirão as atenções e os esforços do Estado brasileiro, sendo indispensável, portanto, a presença de grande número de representantes do Congresso Nacional.”


“Em decorrência da participação significativa dos senadores na Conferência, o presidente senador José Sarney, em combinação com as lideranças partidárias da Casa, determinou que durante a próxima semana não haverá sessões deliberativas no Senado Federal. Da mesma forma, também está programada a atuação no evento de muitos deputados federais.”


“Desse modo, estando o Congresso Nacional, como um todo, envolvido nas atividades da Conferência Rio+20, essa participação repercutirá nas atividades de todos os órgãos do Poder Legislativo federal.”


“Isso posto, a presidência desta CPMI, após consultas ao senhor relator e a integrantes do colegiado, decidiu não convocar reuniões para a próxima semana, que, assim, será destinada integralmente à realização de trabalhos de investigação e consultas nos documentos e diversos outros dados e informações que, a cada dia, chegam em farta quantidade.”


“Cabe recordar que, após o recebimento, do Supremo Tribunal Federal e da 11ª Vara da Justiça Federal de Goiânia (GO), do material referente às operações da Polícia Federal denominadas “Vegas” e “Monte Carlo”, esta comissão solicitou informações bancárias, fiscais e telefônicas protegidas por sigilo, que têm sido a nós enviadas por diferentes órgãos da administração pública. Também a documentação referente à denominada operação “Saint Michel”, ocorrida no Distrito Federal, já se encontra em poder desta CPMI.”


“Portanto, uma semana sem a ocorrência de reuniões plenárias representará uma oportunidade para que os membros da comissão e seus assessores credenciados possam se debruçar sobre o material recebido e realizarem atividades de pesquisa e investigação documental, tarefas essenciais para o sucesso do inquérito parlamentar em andamento. Em outros termos, pois, a não realização de reuniões na próxima semana não trará qualquer prejuízo aos trabalhos da CPMI, que, como afirmado, estará concentrada em outras atividades indispensáveis, que não os depoimentos e inquirições.”


“Esclareço, por fim, que durante a próxima semana esta presidência elaborará a pauta de reuniões seguintes, uma vez que a comissão já deliberou pela convocação de mais de quarenta testemunhas e indiciados e precisará dar seguimento à tomada de depoimentos.”


“Senador Vital do Rêgo


Presidente da CPMI”


Jornal Midiamax