Geral

Secretária aponta tendência de aumento da violência contra mulheres idosas

A secretária-adjunta da Secretaria Nacional de Política para as Mulheres, Lourdes Maria Bandeira, divulgou há pouco dados do Disque 180, que recebe denúncias de violência contra as mulheres. Em 2011, 10.704 chamadas foram feitas por mulheres idosas (1,6% do total das chamadas). “Esse é um número subestimado, porque nem todas as mulheres que sofreram violência […]

Arquivo Publicado em 14/06/2012, às 20h48

None

A secretária-adjunta da Secretaria Nacional de Política para as Mulheres, Lourdes Maria Bandeira, divulgou há pouco dados do Disque 180, que recebe denúncias de violência contra as mulheres. Em 2011, 10.704 chamadas foram feitas por mulheres idosas (1,6% do total das chamadas). “Esse é um número subestimado, porque nem todas as mulheres que sofreram violência ligaram para denunciar”, disse a secretária-adjunta. Já de janeiro a março de 2012, foram feitas 4.199 chamadas por idosas. “Isso significa que houve aumento da violência contra a pessoa idosa”, avaliou.


Lourdes Maria destacou ainda a falta de preparo da maioria das cuidadoras e cuidadores dos idosos e defendeu que haja mais investimento na formação dessas pessoas. Ela ressaltou que a secretaria trabalha com dois eixos de políticas públicas geracionais: um para as jovens e outro para as mulheres idosas, pois cada segmento têm características e demandas diferentes.


“Nós temos que considerar que o idoso não é um grupo homogêneo. Quando pensamos em políticas públicas, elas têm de ser universais e, ao mesmo tempo, contemplar as diferenças entre homens e mulheres, de classes sociais, de acesso à educação e à saúde. A demanda das idosas, por exemplo, na área e saúde, é completamente diferente da dos homens”, disse.


Rigidez



A secretária-adjunta também mencionou estudo realizado pela Universidade de Brasília (UnB) em Brasília e Goiânia. Segundo Lourdes Maria, o levantamento mostrou que as casas de acolhimento de pessoas idosas têm uma rigidez institucional tão forte que acaba prejudicando os idosos, em vez de ajudar.


Ela citou ainda pesquisa do Ipea que mostrou que a maioria das casas de acolhimento de idosos no Brasil são de cunho religioso, mantidas por doações e por “parcos recursos” que o Estado repassa. “Já as instituições privadas são extremamente caras. Custa de R$ 8 mil a R$ 10 mil por mês para manter um idoso nessas casas”, disse.


Lourdes Maria Bandeira participa de seminário, na Câmara, sobre os dez anos do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso (CNDI).


Jornal Midiamax