Geral

Saúde confirma dois casos de dengue tipo 4 na Capital

A confirmação nesta quinta-feira (8) dos dois primeiros casos de dengue tipo 4 na capital, deixa as secretarias estadual e municipal em alerta para evitar um epidemia, ainda neste verão. De acordo com Eugênio Barros, secretário-adjunto de Estado de Saúde, o laboratório confirmou os casos, sendo um homem de 51 anos e uma mulher de […]

Arquivo Publicado em 09/03/2012, às 11h54

None

A confirmação nesta quinta-feira (8) dos dois primeiros casos de dengue tipo 4 na capital, deixa as secretarias estadual e municipal em alerta para evitar um epidemia, ainda neste verão.


De acordo com Eugênio Barros, secretário-adjunto de Estado de Saúde, o laboratório confirmou os casos, sendo um homem de 51 anos e uma mulher de 35 anos, nos bairros Parati e da Vila Eliane. “Sãos os primeiros casos de Dengue tipo 4 em Mato Grosso do Sul. No estado inteiro não havia ocorrido”.


Barros destacou que o programa de combate a dengue continuará sendo executado. “A gente esperava desde o ano passado”.


O secretário-adjunto ressaltou que o importante é reduzir a população de vetores. “Em qualquer sorotipo a gravidade é a mesma”, ponderou.


Ação


Com a confirmação dos casos, já foi realizado o bloqueio nos bairros, em raio ampliado, com a borrifação. As ações terão continuidade. “Também daremos apoio aos municípios no que for necessário”.


Barros lembrou que os casos de dengue tipo 4 eram esperados, pois em outros estados já haviam sido registrados, como no Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás.


Dengue


Segundo o Secretário de Saúde de Campo Grande, Leandro Mazina, a chegada da dengue tipo 4 já era esperada para Mato Grosso do Sul. “Sempre estávamos falando, porque havia casos no Brasil inteiro”.


Mazina ressaltou que os dois casos da capital foram notificados no início de fevereiro e que ontem foram apenas confirmados. “Nenhum dos pacientes precisou ser internado. Eles estiveram no posto onde foi coletado o material e o resultado informado agora”.


O secretário também enfocou a necessidade da população manter a vigilância quanto à limpeza dos terrenos e outros cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. “Só o poder público não consegue acabar com a dengue. E, os cuidados são os mesmos, acabando com o mosquito a gente acaba com a dengue tipo 1, tipo 2, tipo 3 e tipo 4”, explicou.


“Torcíamos para não vir, mas não é necessário alarde. É uma preocupação a mais dentro do que já estava previsto”, finalizou.


Matéria editada para acréscimo de informações 09h22.

Jornal Midiamax