Geral

Ronaldo: “Brasil vive seu pior momento na história”

O ex-jogador e membro do COL (Comitê Organizador Local) Ronaldo disse que o Brasil talvez viva o seu pior momento na história do futebol. Seu comentário foi após ser questionado pelo fato de o Brasil ter apenas um jogador entre 30 atletas ofensivos na lista de melhores do mundo anunciado pela Fifa, incluindo 15 meio-campistas […]

Arquivo Publicado em 29/11/2012, às 16h24

None
1138871457.jpg

O ex-jogador e membro do COL (Comitê Organizador Local) Ronaldo disse que o Brasil talvez viva o seu pior momento na história do futebol. Seu comentário foi após ser questionado pelo fato de o Brasil ter apenas um jogador entre 30 atletas ofensivos na lista de melhores do mundo anunciado pela Fifa, incluindo 15 meio-campistas e 15 atacantes.



“Acho que confirma o que tenho falado que o Brasil viva uma entre-safra. É o momento de reciclar. O futebol brasileiro, obviamente, não vive o seu melhor momento. Talvez até o seu pior momento da história. A Espanha tem feito algo extraordinário, tem mostrado futebol extraordinário, envolvente e objetivo. Isso além de ser o momento difícil para o futebol brasileiro. Temos grandes talentos, alguns que não são protagonistas que chamam atenção no ataque. É um momento de reflexão. Para voltar a ser protagonista, o Brasil vai ter que mudar. Mas acredito que isso vai acontecer”, disse Ronaldo.



Na lista dos 30 jogadores ofensivos, o único brasileiro é Neymar. Há ainda como defensores David Luiz, Thiago Silva e Daniel Alves, em um total de 20 da lista.



Em seguida, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, concordou com Ronaldo sobre o momento do futebol brasileiro. “Você está absolutamente certo”, disse o cartola da entidade máxima do futebol.



Tanto Ronaldo quando Blatter admitiram ser difícil para Neymar ser incluído entre os três melhores jogadores do mundo enquanto atuar no Brasil. Os escolhidos foram Iniesta, Messi e Cristiano Ronaldo, todos atuando no futebol espanhol. Na análise do ex-jogador e do cartola, isso só pode acontecer em 2014 caso ele tenha participação decisiva na Copa do Mundo.



“Neymar, sendo um jogador excepcional, pode conseguir com a seleção brasileira, e na Copa 2014. Mas, em relação a clubes, é difícil ser o melhor longe fora da Europa”, disse Blatter.



Para Ronaldo, atingir a lista dos 15 melhores atacantes já é um reconhecimento para o atacante santista enquanto atuar no país. “Neymar estar na lista é um reconhecimento. Para ser o melhor, ou ele tem que jogar na Europa, ou em 2014 arrebentar com a seleção. Aí sim, o mundo todo vai estar vendo ele. Ele é protagonista no Brasil, mas pouco se vê na Europa. O mundo não conhece o futebol do Neymar. Dependendo da sua ambição de ser o melhor do mundo o caminho mais curto é jogar na Europa”, concluiu o cartola do COL.



O jogador ainda fez elogios à lista da Fifa, que considerou justa. Para ele, Messi continua a estar um pouco acima de Cristiano Ronaldo. Mesmo assim, ele afirmou que, hoje, a concorrência para a Bola de Ouro, principal título da entidade, é menos concorrido do que na sua época. “Naquela época, eu concorria com o Rivaldo, Figo, Zidane, Beckham. Havia uns 10 que podiam disputar”, observou.


Jornal Midiamax