Geral

Rogério Ceni “melhora bastante”, mas pode passar por cirurgia

Descartado por Emerson Leão para os dois primeiros jogos do São Paulo no ano, Rogério Ceni pode ser um desfalque por mais tempo. As dores no ombro direito já diminuíram, mas os médicos ainda cogitam optar por uma cirurgia por conta do estiramento no local. “Não está descartada, mas ninguém decidiu por uma cirurgia. Ele […]

Arquivo Publicado em 21/01/2012, às 22h34

None

Descartado por Emerson Leão para os dois primeiros jogos do São Paulo no ano, Rogério Ceni pode ser um desfalque por mais tempo. As dores no ombro direito já diminuíram, mas os médicos ainda cogitam optar por uma cirurgia por conta do estiramento no local.

“Não está descartada, mas ninguém decidiu por uma cirurgia. Ele melhorou bastante de ontem para hoje, talvez seja esse um dos motivos para aguardarmos um pouquinho. Por enquanto, ele continua fazendo fisioterapia e, a partir disso, vamos decidir alguma coisa nesta semana”, disse o médico José Sanchez.

A decisão de manter o tratamento sem operar foi tomada após uma conversa neste sábado no CCT da Barra Funda envolvendo os fisioterapeutas do clube, José Sanchez e também Rogério Ceni. Nos próximos dias, contudo, é possível que o quadro não evolua tão rapidamente e escolham fazer a cirurgia.

“Claro que algum fato pode mudar tudo. Por isso a possibilidade não está descarta. Mas, até este momento, não decidimos nem marcamos nada”, completou José Sanchez, mantendo a política de não definir um prazo de retorno do jogador às partidas.

Rogério Ceni acordou no domingo, ainda na concentração no Centro de Formação de Atletas em Cotia, com dores no ombro direito e, desde então, trabalha no Reffis, sem aparecer no campo. O estiramento no ombro direito foi detectado em ressonância magnética na segunda-feira.

Na terça-feira, Leão informou que não contava com o capitão para enfrentar o Botafogo de Ribeirão Preto, neste domingo, e o Oeste, na quarta-feira, mantendo somente a possibilidade de escalá-lo no dia 28, diante do São Caetano. O treinador informou ainda que o ídolo do Tricolor, já calvo, se machucou penteando o cabelo.
Em sua única – e rápida – manifestação pública sobre o assunto, nessa sexta-feira, o goleiro rebateu. “Eu me machuquei por excesso de treino, treinei demais”, disse, querendo falar mais, mas logo tendo sua entrevista interrompida por seguranças.

A declaração pode ser um ataque a Leão de duas formas: respondendo à “brincadeira” do chefe com uma crítica a seus trabalhos ou uma ironia em relação à frequente reclamação de Leão, que considera exagerado os treinos de um jogador que completará 39 anos neste domingo.

Jornal Midiamax