Geral

Rio se transforma em palco de debates sobre o papel das mulheres no mundo

O Rio de Janeiro será palco no próximo dia 30 do debate Mulheres Reais Que Transformam, evento que discutirá o papel feminino no mundo, no Sheraton Hotel & Resort. Na relação de palestrantes estão Leymah Gbowee (Libéria), Prêmio Nobel 2011, Sampat Pal Devi (Índia), fundadora do grupo denominado Gangue Rosa, que combate a violência doméstica, […]

Arquivo Publicado em 28/10/2012, às 15h29

None

O Rio de Janeiro será palco no próximo dia 30 do debate Mulheres Reais Que Transformam, evento que discutirá o papel feminino no mundo, no Sheraton Hotel & Resort.


Na relação de palestrantes estão Leymah Gbowee (Libéria), Prêmio Nobel 2011, Sampat Pal Devi (Índia), fundadora do grupo denominado Gangue Rosa, que combate a violência doméstica, e Graça Foster, presidenta da Petrobras, primeira mulher no mundo a presidir uma companhia petrolífera. Também estão na lista de palestrantes a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e o educador norte-americano Tony Porter, ativista político e social que defende os direitos humanos e a justiça social.


O sócio-diretor do Instituto Data Popular, Renato Meirelles, analisará a nova classe média brasileira. A expectativa é sobre a palestra de Leymah Gbowee, ativista africana, nascida na Libéria, responsável por liderar o movimento pela paz que encerrou a 2ª Guerra Civil no país, em 2003.


Em 2011, foi uma das três personalidades a receber o Prêmio Nobel da Paz. Gbowee liderou um movimento de mulheres que se recusavam a fazer sexo enquanto as batalhas fossem mantidas. Mãe de seis filhos, separada do primeiro marido, Gbowee se tornou uma espécie de exemplo para várias mulheres da África, continente no qual vários países não valorizam a figura feminina.


Também é referência na luta contra a violência doméstica a indiana Sampat Pal, fundadora do grupo Gangue Rosa ou Gangue Gulabi, em referência a um sari rosa usado por suas integrantes. Sampat Pal pertence a uma das castas mais humildes da sociedade hindu, mas não se limitou ao que é compreendido por alguns indianos como destino.


O grupo criado por ela reúne cerca de 20 mil pessoas. Sampat viaja pelo interior da Índia recrutando mulheres. Tatianna Oliva, sócia-diretora da Cross Networking, uma das organizadoras do seminário no Rio, disse no seu site que o objetivo é promover um debate amplo sobre as mulheres no mundo em várias áreas, inclusive mencionando os cuidados com a saúde e beleza.

Jornal Midiamax