Geral

Réu do caso Mayana nega “racha” e diz ter sido fatalidade

Teve início na manhã desta quarta-feira (29) o julgamento dos acusados da morte de Mayana de Almeida Duarte, vítima de um acidente ocasionado por dois jovens que estariam disputando “racha” na Avenida Afonso Pena, em junho de 2010. Juri, composto por 4 mulheres e 3 homens, já ouviu os réus Anderson de Souza Moreno e […]

Arquivo Publicado em 29/02/2012, às 13h14

None
1765023360.jpg

Teve início na manhã desta quarta-feira (29) o julgamento dos acusados da morte de Mayana de Almeida Duarte, vítima de um acidente ocasionado por dois jovens que estariam disputando “racha” na Avenida Afonso Pena, em junho de 2010.


Juri, composto por 4 mulheres e 3 homens, já ouviu os réus Anderson de Souza Moreno e Willian Jhony de Souza Ferreira.


Moreno negou o racha e afirmou que foi uma fatalidade. Já Ferreira, confirmou a disputa com os carros, mas negou que estava embriagado.


A mãe de Mayana destacou que é um momento difícil, mas que espera que a justiça seja feita, para que outras famílias não passem pela dor de perder um filho. Para ela, casos como este não podem ficar impunes.


Caso


Mayana de Almeida Duarte foi vítima de um acidente ocasionado por dois jovens que estariam disputando “racha” na Avenida Afonso Pena.


Anderson de Souza Moreno, vulgo “Fuscão”, e Willian Jhonny de Souza Ferreira, segundo se apurou preliminarmente, dirigiam em alta velocidade 14 de junho de 2010, em circunstâncias que evidenciavam a “disputa de racha”. Ao chegarem à confluência da Rua José Antônio, bateram no carro de Mayana, que faleceu devido ao acidente no dia 25 de junho.

Jornal Midiamax