Geral

Representantes de clínicas, hospitais e laboratórios discutem coleta de lixo em Campo Grande

Representantes de hospitais, clínicas e laboratórios de Campo Grande se reuniram com o deputado estadual Lauro Davi (PSB/MS), presidente da Comissão de Saúde e Seguridade Social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, na tarde desta segunda-feira (19) para tratar da coleta de lixo hospitalar, que será suspensa pela prefeitura a partir da próxima […]

Arquivo Publicado em 19/11/2012, às 20h23

None
1279639408.jpg

Representantes de hospitais, clínicas e laboratórios de Campo Grande se reuniram com o deputado estadual Lauro Davi (PSB/MS), presidente da Comissão de Saúde e Seguridade Social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, na tarde desta segunda-feira (19) para tratar da coleta de lixo hospitalar, que será suspensa pela prefeitura a partir da próxima quarta-feira.



De acordo com os representantes dos hospitais, não há como assumir o compromisso de realizar a coleta de lixo hospitalar, uma vez que no momento não existem recursos disponíveis para isso. Ainda segundo os representantes, é preciso buscar uma saída para esse problema, pois de acordo com o comunicado enviado pela prefeitura de Campo Grande, a coleta de lixo hospitalar será suspensa no dia 21/11.



Para o deputado Lauro Davi, este é um grave problema que pode prejudicar a população de Campo Grande, uma vez que todo lixo hospitalar deve ter sua destinação correta para evitar possíveis infecções. Além disso, Lauro Davi enfatizou que isso é um tema para ser discutido com todo o poder legislativo estadual e municipal.



Segundo informações do representante da Maternidade Cândido Mariano, Ivandro Fonseca, o custo anual da coleta de lixo hospitalar particular ficaria em torno de R$ 300 a R$ 400 mil reais, recursos que segundo ele não estão disponíveis no momento. O deputado Lauro Davi recebeu um documento com as solicitações desses representantes e sugeriu que uma reunião com o prefeito eleito de Campo Grande seja realizada para tratar especificamente desse assunto, “é necessário conversar com o atual e com o futuro prefeito de Campo Grande, pois o assunto requer muito diálogo e vontade política para que se chegue a uma solução que resolva esse impasse”, afirmou o parlamentar.



Nesta terça-feira (20) todos os representantes dos hospitais, clínicas e laboratórios que estiveram presentes na reunião desta segunda-feira estão novamente na Assembleia Legislativa para tratar desse assunto com todos os 24 deputados estaduais.


Jornal Midiamax