Geral

Renúncia coletiva do governo antecipará eleições gerais na Holanda

O primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, e todos os integrantes do gabinete renunciaram hoje (23), antecipando as eleições gerais no país. Inicialmente, a previsão era que o pleito para a escolha de 150 membros do Parlamento ocorresse em 2014. Ainda não foi anunciada a nova data. Rutte entregou hoje a carta de renúncia pessoalmente à […]

Arquivo Publicado em 23/04/2012, às 16h13

None

O primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, e todos os integrantes do gabinete renunciaram hoje (23), antecipando as eleições gerais no país. Inicialmente, a previsão era que o pleito para a escolha de 150 membros do Parlamento ocorresse em 2014.


Ainda não foi anunciada a nova data. Rutte entregou hoje a carta de renúncia pessoalmente à rainha Beatriz. A decisão foi provocada por divergências na condução do processo de cortes orçamentários.


Rutte liderava um governo de coalizão de minorias em busca de mais cortes nos gastos do governo, mas não obteve apoio do Partido da Liberdade, que é de direita. Sem o apoio da sigla no Parlamento, não houve possibilidade de levar adiante a discussão, segundo especialistas. Apesar de integrar a base governista, o Partido da Liberdade apoiava o governo.


No entanto, abandonou a discussão sobre a tentativa de cortar cerca de 16 bilhões de euros (cerca de R$ 39 bilhões) do orçamento do país, causando uma crise governista. A Holanda é uma monarquia constitucional e o Poder Executivo é formado pelo Conselho de Ministros dos Países Baixos, comandado pelo primeiro-ministro e por uma equipe de ministros que varia de 13 a 16 integrantes.


Desde os anos de 1970, o primeiro-ministro holandês também comanda a coalizão no Parlamento.

Jornal Midiamax