Geral

Redução na telefonia pode estimular consumo, usuário diz que é preciso ficar em alerta

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) divulgou ontem que a partir do dia 24 de fevereiro as ligações de telefones fixos para celulares ficarão 10,78% mais baratas. A redução também deve atingir os custos das ligações entre aparelhos móveis de diferentes empresas. Como toda redução, a medida é bem recebida por usuários de telefonia fixa. […]

Arquivo Publicado em 26/01/2012, às 18h59

None

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) divulgou ontem que a partir do dia 24 de fevereiro as ligações de telefones fixos para celulares ficarão 10,78% mais baratas. A redução também deve atingir os custos das ligações entre aparelhos móveis de diferentes empresas.


Como toda redução, a medida é bem recebida por usuários de telefonia fixa. O jornalista Humberto Nogueira, 31 anos, diz que tudo que ameniza o bolso do consumidor é sinônimo de benefício e vê essa redução como um benefício para o consumidor.


Mas deixa o alerta: com certeza, essa redução pode ajudar e também prejudicar o consumidor. Pelo fato de saber que poderá efetuar ligações para celular de fixo a baixo custo, o consumidor precisa se atentar para não ficar usando o telefone a todo o momento e depois ter susto no pagamento.


O superintendente em exercício do Procon-MS (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor) Alexandre Rezende aponta que a tarifa é um dos motivos que leva consumidores ao órgão, mas aponta que não é o principal fator de reclamações.


Segundo ele, o grande problema das telefonias, que durante anos foram campeãs de reclamações no país, são cobranças indevidas, serviços não solicitados e má qualidade de serviços prestados.
Rezende explica que a mudança se deveu ao fato das telefonias passarem a cumprir o Decreto 6223, que regulamenta o SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente). “Se o SAC funciona, o consumidor resolve o problema e não precisa vim até o Procon fazer sua queixa.

Jornal Midiamax