Geral

Redução de juros da Caixa deve incrementar a economia de Mato Grosso do Sul

O superintendente explica que com taxas de juros mais baixa o investidor consegue se preparar, inclusive contra concorrentes que vem de fora Mato Grosso do Sul

Arquivo Publicado em 21/01/2012, às 11h36

None
113899649.jpg

O superintendente explica que com taxas de juros mais baixa o investidor consegue se preparar, inclusive contra concorrentes que vem de fora Mato Grosso do Sul

O anúncio da redução da taxa de juros e da disponibilização de R$ 40 bilhões para micro e pequenas empresas anunciadas pela Caixa Econômica Federal vai trazer efeito positivo no estado e em todo país, disse nesta sexta-feira (20) o superintendente em exercício da Caixa Econômica Federal em Mato Grosso do Sul Cláudio Guterres Rubbo.


Segundo o superintendente, o efeito da redução possibilita uma melhor performance nos investimentos que as empresas estão fazendo. “Com juros mais baixos, fica mais interessante contratar algum produto e incrementar o negócio”, explica.


Guterres ainda lembra que em MS acontece uma aceleração muito grande na economia. Como exemplo citou a inauguração de novos empreendimentos na capital como dois shoppings e lembrou que mais um terceiro já está em construção.


O superintendente explica que com taxas de juros mais baixa o investidor consegue se preparar, inclusive contra concorrentes que vem de fora. “A matéria [dinheiro] ficou mais barata tanto para pessoas físicas que podem comprar produtos com CDC, cheque especial e cartão crédito com valor menos, quanto para empresários que podem capitalizar a empresa e melhor o giro”.


País


A taxa de juros diminuiu depois que o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central reduziu a taxa básica de juros, a Selic, em 0,5 ponto percentual para 10,5% ao ano.


Para as pessoas físicas, a redução dos juros é de até 28,3 pontos percentuais (pp) ao ano. Para as empresas, a queda vai a até 1 pp ao ano.


Para o segmento de crédito à pessoa física, foram contemplados produtos como: CDC automático, com redução de 0,6 pp ao ano; cheque especial, com redução de 0,4 pp ao ano (nova taxa mínima de 1,35% ao mês); consignação, com redução de 0,5 pp ao ano na taxa mínima e crédito pessoal IR, com redução de até 3,3 pp ao ano (2,82% ao mês). A Caixa também reduziu, em até 28,3 pp ao ano, as taxas em algumas variantes de cartão de crédito (rotativo e parcelado com juros) e em 0,2 pp ao ano no CDC sênior.


Para o segmento de micro e pequenas empresas, estão os produtos crédito especial empresa, FGO (fundo de garantia de operações), com redução de 0,7 pp ao ano (nova taxa mínima de 1,47% a.m.); e financiamento de capital de giro, com redução de 1,0 pp ao ano (taxa mínima de 2,62% a.m.). As reduções atingiram também o setor de média e grande empresa, abrangendo os produtos: financiamento de capital de giro parcelado, fnanciamento para investimentos em máquinas e equipamentos; e financiamento de veículos novos.


A Caixa pretende disponibilizar este ano R$ 40 bilhões em volume de crédito para micro e pequenas empresas, o que significa um crescimento de 20% em relação ao valor aplicado em 2011.


(Com informações da Agência Brasil)

Jornal Midiamax