Geral

Rapaz é morto por apelidar de ‘Pato Donald’ homem com defeito na fala

Um homem de 27 anos confessou à polícia que matou um rapaz de 20 por não aguentar mais o apelido de “Pato Donald”. Esmael dos Santos, 27, tem um defeito na fala que o faz falar de forma sussurrada. O crime foi cometido em 29 de julho, mas o suspeito, procurado desde então, só foi […]

Arquivo Publicado em 13/12/2012, às 18h53

None

Um homem de 27 anos confessou à polícia que matou um rapaz de 20 por não aguentar mais o apelido de “Pato Donald”. Esmael dos Santos, 27, tem um defeito na fala que o faz falar de forma sussurrada.



O crime foi cometido em 29 de julho, mas o suspeito, procurado desde então, só foi preso nesta quarta-feira (12), na casa dele, em Libanópolis, bairro da periferia de São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba, no Paraná).



À polícia, Santos contou que o defeito na fala é sequela de uma paralisia facial que sofreu ainda criança. Por conta dele, recebeu de vítima, Jonas de Melo Padilha, os apelidos de “rádio fora da estação” e “Pato Donald”.



“Há três meses que ele vinha tirando sarro da minha cara”, disse Santos na quarta, a um programa de televisão especializado em notícias policiais. “Eu pedi para o irmão dele fazer ele parar, ele não parou. Aí nos começamos a brigar. Eu arranquei meu revólver e matei ele”, disse.



“(Santos) É um rapaz simples, humilde, sem passagem anterior pela polícia. Disse que não aguentou as provocações, comprou uma arma e matou (Padilha)”, disse o delegado da Polícia Civil Gil Rocha Tesserolli.



O crime foi cometido num bar da cidade. “Por isso, não descartamos que ambos estivessem alcoolizados. O fato de Santos não ter antecedentes policiais obviamente é um atenuante, apesar de o motivo fútil que o levou a cometer o assassinato.”



O suspeito está preso na delegacia de São José dos Pinhais, onde aguardará julgamento.


Jornal Midiamax