Geral

Produção industrial sobe 0,3% em julho ante junho, segundo IBGE

A produção industrial brasileira subiu 0,3 por cento em julho frente a junho, registrando a segunda alta seguida na comparação mensal e vindo acima da expectativa do mercado, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. Em junho, o indicador havia mostrado avanço de 0,2 por cento ante o mês […]

Arquivo Publicado em 04/09/2012, às 12h04

None

A produção industrial brasileira subiu 0,3 por cento em julho frente a junho, registrando a segunda alta seguida na comparação mensal e vindo acima da expectativa do mercado, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.


Em junho, o indicador havia mostrado avanço de 0,2 por cento ante o mês anterior, na primeira alta mensal depois de três quedas consecutivas. Na comparação com julho de 2011, a produção recuou 2,9 por cento, a 11a queda consecutiva nesse tipo de comparação.


De acordo com pesquisa da Reuters junto a 15 analistas, a expectativa era de que a produção industrial permanecesse estável em julho ante junho, ou seja, com crescimento zero. Na comparação anual, a previsão era de contração de 3,3 por cento.


Segundo o IBGE, 12 das 27 atividades pesquisadas mostraram crescimento na produção em julho ante junho, com destaque para os setores de veículos automotores (4,9 por cento), alimentos (2,1 por cento) e máquinas e equipamentos (3,0 por cento).


Também contribuíram de forma positiva os setores de equipamentos de instrumentação médico-hospitalar, ópticos e outros (16,8 por cento), outros produtos químicos (1,8 por cento), borracha e plástico (3,2 por cento) e minerais não metálicos (2,7 por cento).


O IBGE destacou na ponta oposta, com recuo da produção, os segmentos de produtos de metal (-6,7 por cento), outros equipamentos de transporte (-7,4 por cento), farmacêutica (-4,8 por cento), material eletrônico, aparelhos e equipamentos de comunicações (-4,1 por cento) e máquinas para escritório e equipamentos de informática (-4,8 por cento).

Jornal Midiamax