Geral

Primeiro “casamento gay” acontece em Vicentina, com cerimônia simples

Alessandro de Luca Pereira, de 39 anos e Elias Renato Costa de Almeida, de 20 anos, formam o primeiro casal de Vicentina a oficializar sua união em cartório após a legalização do casamento homossexual pelo STF (Superior Tribunal Federal). Ao consolidar oficialmente o primeiro “casamento gay” do município em Vicentina, nesta sexta-feira (13), às 17 […]

Arquivo Publicado em 14/04/2012, às 14h03

None

Alessandro de Luca Pereira, de 39 anos e Elias Renato Costa de Almeida, de 20 anos, formam o primeiro casal de Vicentina a oficializar sua união em cartório após a legalização do casamento homossexual pelo STF (Superior Tribunal Federal).


Ao consolidar oficialmente o primeiro “casamento gay” do município em Vicentina, nesta sexta-feira (13), às 17 h, no 2º Cartório Air Ortiz do Nascimento, localizado na Avenida Padre José Daniel, os moradores do Distrito de São José, protagonizaram um momento histórico para a cidade, localizada a 246 km de Campo Grande.


O casal já está junto desde outubro de 2006 e possuía um contrato de união estável, oficializado em 25 de Julho de 2011, registrado em um Cartório da cidade de Paraibuna, no Estado de São Paulo. De acordo com o site do Fátima News, Alessandro e Elias destacaram que todos devem lutar pelos seus direitos.


Ambos fizeram questão de agradecer a promotora Suzi D´Angelo por ter assinado a permissão para a realização do casamento. “O papel não modifica o sentimento que temos uma pelo outro, mas é importante conhecermos e fazermos valer nossos direitos”, diz Alessandro.


Para o casal, a importância da cerimônia deve-se ao fato que a diferença é que a união estável acontece sem formalidades, de forma natural, a partir da convivência do casal, enquanto que o casamento civil é um contrato jurídico formal estabelecido entre suas pessoas.


Convém salientar que a lei, que estabelece normas para as uniões estáveis entre homens e mulheres, destaca entre os direitos e deveres do casal o respeito e a consideração mútuos, além da assistência moral e material recíproca.

Jornal Midiamax