Geral

Presidente do Paraguai reclama da falta de diálogo com o Brasil e a Argentina

O presidente do Paraguai, Federico Franco, reclamou que a falta de diálogo com as presidentas Dilma Rousseff e Cristina Kirchner, da Argentina, impede a construção de pontes ligando os territórios dos três países. Um dos projetos ameaçados, segundo Franco, é o da construção da segunda ponte sobre o Rio Paraná, na fronteira com o Brasil, […]

Arquivo Publicado em 14/10/2012, às 14h55

None

O presidente do Paraguai, Federico Franco, reclamou que a falta de diálogo com as presidentas Dilma Rousseff e Cristina Kirchner, da Argentina, impede a construção de pontes ligando os territórios dos três países. Um dos projetos ameaçados, segundo Franco, é o da construção da segunda ponte sobre o Rio Paraná, na fronteira com o Brasil, e a que ficará na região fronteiriça de Ñeembucú, do Paraguai com a Argentina.



O Paraguai está suspenso do Mercosul desde junho, quando os líderes políticos da região concluíram que houve o rompimento da ordem democrática na região durante o processo de destituição do poder do então presidente Fernando Lugo. Porém, as autoridades paraguaias negam irregularidades no processo.



Franco indicou que a suspensão impede o diálogo e o avanço das obras envolvendo os três países – Paraguai, Brasil e Argentina. Segundo ele, é impossível também negociar acordos bilaterais envolvendo Paraguai e Brasil ou Paraguai e Argentina. “Com toda honestidade, não há negociações”, disse ele.



Porém, em várias ocasiões, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, negou que a suspensão do Paraguai do Mercosul e da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) tenha o objetivo de causar prejuízos aos paraguaios.


Jornal Midiamax