Geral

Prefeito de Campo Grande abre campanha de vacinação contra a paralisia infantil

A meta é vacinar 95% das crianças entre zero e quatro anos, prioritariamente, em Mato Grosso do Sul. São cerca de 70 mil crianças em Campo Grande e mais de 204 mil em todo o Estado.

Arquivo Publicado em 16/06/2012, às 12h13

None
2074145306.jpg

A meta é vacinar 95% das crianças entre zero e quatro anos, prioritariamente, em Mato Grosso do Sul. São cerca de 70 mil crianças em Campo Grande e mais de 204 mil em todo o Estado.

O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>H1N1


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.

Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações href=’javascript:busca(‘>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para iniciar o esquema.


H1N1


A contagem oficial para registro no Ministério da Saúde de doses aplicadas em todos os Estados foi fechada nesta sexta-feira (15), mas ainda existem doses nos postos de saúde.


O secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, informou que pediu autorização do Ministério para vacinar outros grupos de pessoas, como diabéticos, hipertensos e crônicos renais.


“Para que essas pessoas se imunizem, basta procurar o serviço nos postos de saúde que serão atendidas conforme a disponibilidade das vacinas”, declarou o secretário.


Bernadete Levandowiski disse que não há falta do medicamento para tratamento da gripe H1N1, o tamiflu e que ele pode ser encontrado nos hospitais para o tratamento dos pacientes.


Matéria editada às 9h30 para acréscimo de informações>O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) abriu a campanha de vacinação contra a poliomelite, às 8h, na unidade básica de saúde do bairro Parque do Sol neste sábado (16). A campanha vai até dia 6 de julho e conta com 114 postos de vacinação, entre fixos e volantes. A meta é vacinar 95 % da população de 0 a 4 anos de idade, num total de 70 mil crianças em Campo Grande e 203.327 em todo o Estado.


Postos de vacinação estão funcionando nos terminais Aero Rancho e Coronel Antonino, nas rede de supermercados Comper, Extra, Wal-Mart e Atacadão e uma unidade móvel que vai ficar na avenida Afonso Pena, entre as Ruas 13 de Maio e 14 de Julho.


Nelson Trad orienta que as mães procurem os postos de saúde para levar seus filhos. “Estamos intensificando a campanha neste final de semana, mas vamos imunizar crianças até o dia 6”.


Ele lembra que a paralisia infantil está erradicada no Brasil graças à imunização. “É uma situação que não é definitiva, para que seja, precisamos vacinar nossas crianças. A paralisia afeta o sistema nervoso e, assim, a locomoção e desenvolvimento dos membros’.


Chefe do serviço de epidemiologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Bernadete Levandowiski informou que a vacinação está em todos os municípios.


Segundo informações da secretaria de saúde, todas as crianças deverão ser imunizadas com a vacina oral poliomielite, independentemente de tê-la recebido anteriormente.


A vacinação é indiscriminada, sendo que as doses administradas em crianças menores de dois meses não deverão ser consideradas como doses válidas, devendo o responsável, ser orientado a retornar ao serviço de saúde, para ini