Geral

Preço de passagens e hotéis têm queda em baixa temporada

Enquanto todo mundo trabalha, estuda, organiza as tarefas de casa e planeja as próximas férias, quem procura ofertas e consegue uns dias de folga no trabalho pode comemorar: além de embarcar quando a maioria das pessoas segue no corre-corre das grandes cidades, turistas que optam por viajar para fora do Brasil em baixa temporada aproveitam […]

Arquivo Publicado em 17/09/2012, às 13h53

None
2039069238.jpg

Enquanto todo mundo trabalha, estuda, organiza as tarefas de casa e planeja as próximas férias, quem procura ofertas e consegue uns dias de folga no trabalho pode comemorar: além de embarcar quando a maioria das pessoas segue no corre-corre das grandes cidades, turistas que optam por viajar para fora do Brasil em baixa temporada aproveitam alguns dias de descanso por preços muito mais baixos.


As diferenças começam na passagem aérea. Em janeiro, o valor de um voo de São Paulo a Miami passa de R$ 2.250. Em setembro, mês considerado de baixa temporada, comprar o bilhete pela internet sai por R$ 1.667 – economia de 26%. A margem se amplia em roteiros mais próximos. Para Buenos Aires, o preço da passagem cai 45%: de R$ 618 em janeiro para R$ 368 em setembro.


Segundo o diretor de marketing do buscador de viagens Mundi, Rodrigo Waissman, a procura por destinos em épocas de menor movimento tem aumentado. “Existe uma evolução no comportamento do consumidor de viagens. No inverno, costumávamos ter registrar quedas de 30 a 40% na procura de destinos tradicionalmente vinculados ao verão. Esse ano, praticamente não houve queda. Isso mostra uma mudança de perfil do consumidor, que começa a procurar mais promoções. Na baixa temporada, ele encontra isso com muito mais facilidade”, diz. O presidente do site de aluguel Alugue Temporada, Nicholas Spitzman, concorda. “Há um crescimento significativo em relação ao ano passado. As pessoas estão começando a viajar em baixa temporada. Em julho desse ano, o número de acessos ao nosso site aumentou 32%. Isso aponta um crescimento significativo na demanda”, avalia.


Hoteis baixam os preços para aumentar ocupação


Com leitos vagos nos meses de baixa temporada, hoteis e resorts lançam promoções para atrair turistas. Mais um ponto para quem quer economizar. “Hotéis e resorts têm uma preocupação muito forte com ocupação, e nessa época eles reduzem os preços agressivamente. O consumidor deve estar aberto a isso e utilizar as ferramentas de pesquisa para encontrar ofertas que se encaixem naquilo que procura”, diz.


Segundo Waissman, a procura por pacotes de baixa temporada é mais comum entre o público jovem. Nos meses de menor movimento nos destinos mais badalados, o período de estadia costuma ser menor, ao contrário das férias de verão, que são mais longas. “Isso se explica principalmente pelo senso de oportunidade que o brasileiro tem desenvolvido. Antes, ele se planejava sempre para a viagem de férias para roteiros correspondentes à estação. Hoje, ele percebe a oportunidade, compra as passagens, reserva o hotal e embarca”, afirma.


Durante o ano, Waissman afirma que é comum passar de três a cinco dias em destinos como Buenos Aires, por exemplo. “Essa barreira internacional ficou menos clara, e as pessoas estão começando a entender que nem sempre as viagens precisam ser longas. Geograficamente, as fronteiras mudaram”, garante. Segundo o empresário, para períodos mais curtos, roteiros como Peru, Chile e Colômbia são uma boa opção. Para aqueles que têm períodos de descanso maior durante o ano, Miami, o destino preferido dos brasileiros, continua em alta. “Miami tem promoções realmente excepcionais, que podem baixar o preço da passagem a cerca de R$ 1,1 mil, desconto de mais de 50% em relação à alta temporada”, acrescenta.

Jornal Midiamax