Geral

Praça terá nome de jovens sequestrados e assassinados em Campo Grande

Os vereadores da Câmara de Campo Grande aprovaram na sessão desta terça-feira (11) o projeto de lei 7.300/12, de autoria do vereador Paulo Siufi (PMDB), que denomina de Bosque da Paz – “Breno Luigi Silvestrini de Araújo & Leonardo Batista Fernandes”, a praça localizada no Bairro Carandá Bosque I. Breno e Leonardo foram sequestrados na […]

Arquivo Publicado em 11/12/2012, às 18h10

None
820506531.jpg

Os vereadores da Câmara de Campo Grande aprovaram na sessão desta terça-feira (11) o projeto de lei 7.300/12, de autoria do vereador Paulo Siufi (PMDB), que denomina de Bosque da Paz – “Breno Luigi Silvestrini de Araújo & Leonardo Batista Fernandes”, a praça localizada no Bairro Carandá Bosque I.

Breno e Leonardo foram sequestrados na saída de um bar em Campo Grande. Os corpos foram encontrados nas proximidades do Indubrasil no dia 30 de agosto deste ano. Os autores foram presos e confessaram que mataram para roubar o carro e trocar por droga na Bolívia.

A mãe de Leonardo, Ângela Fernandes, relatou que há quatro meses recebeu uma notícia que mudaria a sua vida, fazendo que cada passo, ato ou palavra lhe viesse à mente a imagem de Leonardo e Breno, acompanhada de uma inimaginável dor.

Ângela lembrou que os jovens amavam o Bosque do Carandá, que servia de refúgio de todas as horas, e pediu para que a Câmara aprovasse o projeto para que seja um marco para Campo Grande, mostrando que estávamos reagindo e fazendo algo contra a violência.

A mãe de Breno, Lilian Silvestrine, observou que nunca imaginamos que uma tragédia vá acontecer na nossa casa, o que é um engano, e disse que é preciso saber o que estamos fazendo para combater a criminalidade. “Acabar não seria pegar uma arma e sair atirando. É preciso conscientizar para que a população faça alguma coisa. O povo tem poder de pelo menos tentar diminuir a violência”.

O vereador Paulo Siufi declarou que nunca viu vereadores tão emocionados como estava vendo na sessão. O vereador lembrou que para os colegas era fácil aprovar o projeto e o difícil era a família chegar e encontrar um vazio para a eternidade. Ele ponderou ainda que os pais não querem se tornar mártir, mas devem ser elogiados por estar “tentando acender uma luz no túnel que pode ser infinito se não tomarmos atitudes concretas”.

A vereadora Rose Modesto (PMDB) disse que há muito tempo mora em um bairro da periferia de Campo Grande, onde vê a difícil realidade. Todavia, afirmou que acredita muito na prevenção, que pode ser alcançada com investimento em esporte e cultura. “É simples. O difícil é chegar na situação que chegamos hoje”.

O vereador Athayde Nery (PPS) parabenizou os pais pela coragem e determinação de mover todo mundo pela emoção, levantando a bandeira importante de que as pessoas devem transformar as lagrimas em luta.

Emocionado, o vereador Paulo Pedra lembrou de outros crimes em Campo Grande e sugeriu investimentos em educação, avaliando que por meio dela é que se constrói bons cidadãos. O vereador Carlão (PSB) informou que mora na periferia desde 1980 e a filha, de 25 anos, já perdeu muitos amigos por conta da violência, motivada principalmente pelo consumo de drogas. Porém, ressaltou que muitas pessoas humildes não seguiram o caminho errado, porque os pais tiveram responsabilidade sobre os filhos.

O vereador João Rocha (PSDB) também defendeu o investimento no esporte como defesa das crianças e ajuda na prevenção. Na avaliação deles, os pais precisam ser grandes para ensinar as crianças a serem grandes. “Espero que o próximo prefeito monte uma equipe eu invista na base da pessoa humana, para que a sociedade seja melhor e mais humana”.

As famílias de Breno e Leonardo vão fazer uma carreata por Campo Grande no próximo sábado. A concentração será no início da manhã nos altos da avenida Afonso Pena.

Jornal Midiamax