Geral

População reclama de abandono em escola estadual no interior de Mato Grosso do Sul

A escola tem 67 anos e, segundo pais e alunos, enfrenta graves problemas. Faltam cadeiras e a qualidade da água fornecida na escola está afetada porque o reservatório está enferrujado.

Arquivo Publicado em 04/03/2012, às 13h47

None
1534105895.jpg

A escola tem 67 anos e, segundo pais e alunos, enfrenta graves problemas. Faltam cadeiras e a qualidade da água fornecida na escola está afetada porque o reservatório está enferrujado.

A Escola Estadual Coronel Felipe de Brum, aos 67 anos, que fica em Amambai, nunca passou por reforma, conforme denuncia a reportagem do site A Gazeta News.


São 1.014 alunos, divididos em 3 turnos, que enfrentam problemas com goteiras dentro das salas de aula por conta das rachaduras nas paredes e teto.


Em 2003, a escola passou por uma única reforma, que se resumiu a pintar as paredes do local. Pais e alunos reclamam também da qualidade da água fornecida na escola, porque o reservatório está enferrujado.


Segundo Paulo Claidimar Fernandes, diretor da escola, a falta de mesas e cadeiras é uma questão permanente. “Os alunos e professores se viram como podem para procurar assentos e seguir com as aulas”, disse Paulo.


Um dos pavilhões do colégio possui várias utilidades: comporta salas de aula, sanitários e a cozinha, além de ser um grande cemitério de mesas e cadeiras destruídas e criatório para vários tipos de animais e insetos.


Desde 2008 um pedido de reforma tramita na Câmara, mas até hoje não foi votado.

Jornal Midiamax