Geral

PMA autua pecuarista por desmatamento ilegal e incêndio

A Polícia Militar Ambiental de Porto Murtinho, com dois fiscais do Programa de Combate e Prevenção a Incêndios “Prevefogo”, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), autuaram nesta quarta-fera, 21, um fazendeiro por desmatamento ilegal e incêndio. O pecuarista de 52 anos, residente na própria fazenda, havia realizado um desmatamento […]

Arquivo Publicado em 22/11/2012, às 18h51

None
1972470264.jpg

A Polícia Militar Ambiental de Porto Murtinho, com dois fiscais do Programa de Combate e Prevenção a Incêndios “Prevefogo”, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), autuaram nesta quarta-fera, 21, um fazendeiro por desmatamento ilegal e incêndio. O pecuarista de 52 anos, residente na própria fazenda, havia realizado um desmatamento há anos e a vegetação já havia se reconstituído e, ontem ele estava desmatando a área novamente sem autorização do órgão ambiental competente.



O proprietário alegou que estava fazendo limpeza de pastagem, porém, havia vegetação de grande porte que constituía material lenhoso aproveitável, o que exigiria nova licença de desmatamento. A área medida com GPS foi de dez hectares.



Além do desmatamento, o fazendeiro queimava as árvores em leiras, o que é proibido, mesmo em desmatamentos autorizados, pois sempre que licencia uma atividade de supressão vegetal, o órgão ambiental exige que seja feito o aproveitamento do material lenhoso. O desmatamento foi realizado com duas máquinas de esteiras, sendo derrubadas árvores de grande porte para serem queimadas.



A PMA efetuou um auto de infração administrativo e multou o pecuarista em R$ 14.228,40. O autuado também responderá por crime ambiental de desmatamento e por provocar o incêndio. Pelo desmatamento poderá pegar pena de três meses a um ano de detenção. Pelo incêndio se condenado poderá pegar pena de dois a quatro anos de reclusão. Jéssica Honório.


Jornal Midiamax