Geral

Para Azambuja, deficiência na área da saúde é reflexo de gestão ineficiente

Em reunião com mais de 600 pessoas, o candidato a prefeito Reinaldo Azambuja, da Coligação Novo Tempo (PSDB, PPS, PTN, PMN e PHS), creditou à má-gestão à deficiência no atendimento em saúde, apesar de serem investidos pela Prefeitura de Campo Grande pelo menos R$ 2 milhões por dia, conforme demonstra o Orçamento do Município para […]

Arquivo Publicado em 21/07/2012, às 13h18

None
643029612.jpg

Em reunião com mais de 600 pessoas, o candidato a prefeito Reinaldo Azambuja, da Coligação Novo Tempo (PSDB, PPS, PTN, PMN e PHS), creditou à má-gestão à deficiência no atendimento em saúde, apesar de serem investidos pela Prefeitura de Campo Grande pelo menos R$ 2 milhões por dia, conforme demonstra o Orçamento do Município para este ano. Acompanhado do vice, vereador Athayde Nery (PPS), ele garantiu que o quadro atual será alterado em função do fato de que irá priorizar a área da saúde em sua administração.


“Infelizmente, a situação da saúde em Campo Grande deixa muito a desejar e é o setor mais mal avaliado pela população”, lamentou o candidato, ao destacar que somente a má-gestão pode justificar os resultados pífios até agora obtidos, mesmo constando do Orçamento do município quase R$ 700 milhões para a saúde em 2012. “São cerca de R$ 2 milhões por dia”, comentou Azambuja.


Para o candidato, é inadmissível que mesmo com esse volume considerável de recursos a população esteja sendo obrigada a sofrer nas filas de espera em busca de atendimento, com a falta de médicos e com todas as mazelas que colocam a saúde pública em Campo Grande como o setor mais mal avaliado pelos campo-grandenses. Segundo Azambuja, com o dinheiro disponível é possível reverter essa situação.


“Para solucionar todos esses problemas, a receita é uma só: choque de gestão e disposição política, pois os recursos existem. A saúde será prioridade em nossa administração, mesmo porque a população já não aguenta mais ouvir a desculpa de que falta dinheiro para o setor. Já estamos discutindo com médicos, enfermeiros e demais profissionais da saúde as questões relacionadas a essa área e definindo a forma como iremos atacar os problemas existentes”, finalizou o candidato tucano.

Jornal Midiamax