Geral

Palmeiras quer Marcos como embaixador e ‘acorda’ marketing após aposentadoria

Marcos é um dos maiores símbolos do Palmeiras, é campeão do mundo pela seleção brasileira e ainda conquistou a façanha de ser querido por todas as torcidas. Mas sua rentável imagem vinha sendo pouco explorada. Apenas agora com sua aposentadoria confirmada, seus patrocinadores e o Palmeiras despertaram para isso e planejam usá-lo também fora de […]

Arquivo Publicado em 07/01/2012, às 01h34

None

Marcos é um dos maiores símbolos do Palmeiras, é campeão do mundo pela seleção brasileira e ainda conquistou a façanha de ser querido por todas as torcidas. Mas sua rentável imagem vinha sendo pouco explorada. Apenas agora com sua aposentadoria confirmada, seus patrocinadores e o Palmeiras despertaram para isso e planejam usá-lo também fora de campo.


Ainda não há projetos definidos, mas o departamento de marketing começa a se mexer e já recebeu várias propostas de ações, como um livro e até um filme sobre a carreira do atleta. A ideia inicial da diretoria é que o camisa 12 seja uma espécie de embaixador.


“Acho que ele deveria ser embaixador, ele é importante para o clube, um ídolo. Ele pode ter contato direto com os meninos da base, incentivá-los, mostrar o caminho. Também pode receber uma nova contratação na apresentação para a imprensa. A imagem e a história de vida dele podem ser usadas de várias formas, inclusive para levar a marca do clube para o mundo”, disse o vice-presidente de futebol Roberto Frizzo.


Marcos tem aparecido pouco em campanhas, e as ações de marketing se resumiram a pequenas homenagens. Em agosto de 2010, ele ganhou uma camisa comemorativa pelos 500 jogos com o manto alviverde.


Já em 2011, estreou uma nova camisa comemorativa pelo último ano de sua carreira nas cores branca e dourado. Marcos ainda ganhou um boneco em formato miniatura, que é o mais vendido do clube.    


A patrocinadora oficial do atleta Topper também está animada com os planos para a nova fase do ‘Santo’. A fornecedora de material esportivo não acredita em uma queda de visibilidade pela saída dos gramados.


Ao contrário. Pretende explorar sua imagem como último goleiro campeão do mundo pela seleção brasileira com a proximidade da Copa do Mundo de 2014. O gerente de relações esportivas da fabricante Gilberto Ratto também acredita que haverá mais tempo para a participação em eventos.


“Antes não tinha como parar os treinamentos no futebol, então agora poderemos ativar com clientes, fazer sessões de autógrafos, eventos especiais e até trabalhar melhor nossos planos para a Copa de 2014”, disse, em entrevista à Máquina do Esporte.


Marcos só começará a participar dos novos projetos daqui a dois meses, depois que voltar das férias que pediu para a diretoria. Neste período, ele pretende descansar e passar mais tempo com a família sem qualquer atividade ligada ao futebol.


Jornal Midiamax