Geral

Mulher de Cachoeira pode ser acareada com juiz que denunciou chantagem

Após denúncias do juiz federal Alderico Rocha Santos, de que teria sofrido chantagem da mulher do contraventor Carlinhos Cachoeira, a Polícia Federal deve fazer a acareação entre Andressa Mendonça e o magistrado. Nesta segunda-feira, ela foi levada à sede da PF, em Goiânia, para dar explicações sobre a suposta tentativa de chantagem ao juiz que […]

Arquivo Publicado em 31/07/2012, às 11h49

None

Após denúncias do juiz federal Alderico Rocha Santos, de que teria sofrido chantagem da mulher do contraventor Carlinhos Cachoeira, a Polícia Federal deve fazer a acareação entre Andressa Mendonça e o magistrado. Nesta segunda-feira, ela foi levada à sede da PF, em Goiânia, para dar explicações sobre a suposta tentativa de chantagem ao juiz que cuida do processo contra o marido.


Andressa teria encontrado o juiz Alderico Rocha na quinta-feira da semana passada, um dia depois da audiência que ouviu Cachoeira e os outros réus. Ela teria dito ao juiz que teria um dossiê contra ele e que poderia evitar sua divulgação, se o contraventor fosse solto.


Ainda segundo as denúncias, Andressa Mendonça escreveu em um pedaço de papel o nome de três conhecidos do magistrado, alertando que o dossiê envolveria o juiz e essas pessoas. A letra do bilhete vai ser analisada para ver se é mesmo da mulher de Cachoeira.


Alderico Rocha Santos é o segundo juiz do caso. O primeiro, Paulo Moreira Lima, responsável pela prisão de Cachoeira, pediu para sair do processo, porque estava sendo ameaçado.


Após as denúncias do juiz, Andressa está proibida de visitar o marido no Presídio da Papuda, em Brasília, e de se comunicar com os outros réus da Operação Monte Carlo.


A mulher de Cachoeira pode ser presa se não pagar R$ 100 mil de fiança até esta quarta-feira.

Jornal Midiamax