Geral

MPE/MS investiga consequências da extinção de S.O.S. Criança em Campo Grande

Após fim de parceria com a Depca, S.O.S. Criança se dissocia de Conselho Tutelar, muda de endereço e funcionários aguardam recapacitação para mudança em atendimento

Arquivo Publicado em 24/07/2012, às 18h01

None
699154087.jpg

Após fim de parceria com a Depca, S.O.S. Criança se dissocia de Conselho Tutelar, muda de endereço e funcionários aguardam recapacitação para mudança em atendimento

As consequências da falta de atendimento do S.O.S. Criança, serviço realizado desde 2003 para as famílias que necessitavam de atendimento pessoal em casos de cena de abandono, violência psicológica, maus-tratos ou qualquer outro direito violado, serão investigados pelo MPE/MS (Ministério Público Estadual), por meio da abertura de um inquérito civil pelo titular da 46° Promotoria de Justiça, Paulo Henrique Camargo Iunes.


Com média mensal de 250 verificações de denúncias in loco, que contam com a ajuda de psicológos e assistentes sociais, o S.O.S. Criança sofrerá uma reestruturação e possivelmente deixará de realizar atendimento direto para receber denúncias por telefone, agora chamado de Disk 100. Isso significa que as pessoas não precisam mais se identificar na chamada e assim informar com detalhes algum crime que elas tenham presenciado, por exemplo. 



Em contato com uma assistente social do S.O.S. Criança, ela disse que os funcionários do local foram informados que “um especialista chegará em breve para ensinar uma nova forma de atendimento”, culminando em uma reestruturação no sistema.

Depca X S.O.S. Criança


O problema já havia sido denunciado pelo jornal Midiamax há dois meses, quando a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) também perdeu a parceria com o órgão e enfrentava dificuldades com a falta de psicólogo para atendimento aos pais, responsáveis e crianças na delegacia.


Na ocasião a delegada Regina Márcia de Brito, titular da Depca, explicou que a necessidade dos psicólogos “serve para iniciar um atendimento mais ‘humanizado’ para as vítimas de violência, que podem ser as crianças ou os pais. Atualmente eles são ouvidos por profissionais da Segurança Pública, que são qualificados para isso, mas o psicólogo acalma, principalmente em pessoas que acabaram de ser vítimas de violência”, disse.


Serviço


Quem quiser realizar uma denúncia, pode entrar em contato com o S.O.S. Criança através dos telefones 3381 – 6000, 0800 – 647 – 1323 e também no Disk 100.

Jornal Midiamax