Geral

Morre na Santa Casa idosa atropelada por carro em Campo Grande

A polícia militar informou que motorista de veículo Gol não respeitou a placa de Pare e invadiu a pista, ocasionando o acidente.

Arquivo Publicado em 28/08/2012, às 16h34

None

A polícia militar informou que motorista de veículo Gol não respeitou a placa de Pare e invadiu a pista, ocasionando o acidente.

Lúcia Larrea Robertii, de 84 anos, morreu na Santa Casa após complicações sofridas depois que foi vítima de um acidente na manhã desta terça-feira (28). Dois veículos, uma Fiorino branca, placas HRH 3099 e o Gol branco placas NRQ 8580 colidiram e a Fiorino capotou, atingindo-a na calçada.


O acidente aconteceu no cruzamento das ruas Jamelinda Ferreira de Carvalho com a Terlice Maria, no bairro Santa Carmélia.


A idosa ficou presa às ferragens e foi levada para a Santa Casa de Campo Grande, onde morreu ainda nesta manhã. A polícia militar informou que Dionízio Severino Dias, 65, conduzia o veículo Gol pela rua Terlice – que é preferencial – quando o condutor da Fiorino, Eduardo Paulo Andrade, 39, não respeitou a placa de Pare e invadiu a pista, ocasionando o acidente.


O impacto foi tão forte que a lateral do carro ficou complemente amassada e Lucia foi parar em baixo do veículo, ficando presa às ferragens. O Corpo de Bombeiros tiveram que utilizar um equipamento de desencarceramento par poder levantar o veículo e removê-la.


Segundo o tenente Vilson Silva – oficial da área norte – logo que eles retiram a vítima na prancha ela não estava mais consciente, tinha fratura expostas no braço esquerdo, ferimento no abdômem que provavelmente causou hemorragia interna e afundamento de crânio.


Já os motorista dos dois carros saíram ilesos. O motorista da Fiorino estava bastante alterado e teve que ficar dentro da viatura da PM porque os populares e parentes da idosa queriam agredi-lo. Uma moradora das imediações, Magda Arruda de Lima, 60, reclamou da falta de sinalização no local.


“Há dois meses teve um acidente de moto com meu filho no mesmo local e só não foi mais grave porque ele estava em velocidade baixa. As pessoas não respeitam a rua por que não há sinalização horizontal nos cruzamentos”, ressaltou.

Jornal Midiamax